Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
O porco assado no fogo de chão será servido com vários tipos de molhos e muitos acompanhamentos no evento de Palmeira. (Foto/ Arquivo)
O porco assado no fogo de chão será servido com vários tipos de molhos e muitos acompanhamentos no evento de Palmeira. (Foto/ Arquivo)| Foto:

Rodrigo Bellora e Rosane Radecki comandam o evento do próximo sábado, que terá foco no porco moura assado no fogo de chão. (Foto/ Divulgação).

Antes ameaçado de extinção, o porco moura está voltando às paragens do sul brasileiro. (Foto/ Projeto Porco Moura)

Um grande evento ao ar livre, aproveitando o clima da Primavera que se aproxima, está marcado para o próximo sábado (02) próximo a Curitiba. Trata-se do “Porcadeiros – Churrasco de porco moura no fogo de chão”, que vai acontecer no quintal ao Restaurante Girassol, em Palmeira, reunindo alguns dos principais chefs de cozinha de Curitiba e região, além da presença especial de Rodrigo Bellora, chef gaúcho especializado neste tipo de evento.

Bellora é chef e proprietário do restaurante Valle Rústico, localizado no Vale dos Vinhedos, em Garibaldi (RS). Idealizou e colocou em prática o projeto Cozinha da Natureza, como uma forma de viver a gastronomia. O cuidado com os ingredientes, desde plantio até a composição do prato, é uma das principais marcas da culinária de Bellora, que vai coordenar o evento, com quatro exemplares do porco moura assados em fogo de chão a partir da véspera, sexta-feira à tarde.

O porco moura, genuinamente brasileiro, era uma das raças suínas levadas pelos porcadeiros em suas tropeadas. Originária das missões jesuíticas do Rio Grande do Sul, e espalhada em Santa Catarina e Paraná pelos tropeiros, essa raça só não entrou em extinção graças a iniciativas pela sua preservação, como o Projeto Porco Moura. O resgate da raça é importante para a conservação dos arranjos produtivos locais e para fixação e manutenção do pequeno criador no campo.

Os porcos são criados livremente, como na época dos porcadeiros, alimentando-se de pastagens, raízes e frutas nativas, além do pinhão. Os processos de cura, maturação e defumação são naturais, sem aditivos químicos e seus produtos já começam a entrar no mercado, assemelhando-se muito ao irresistível porco preto (ou pata negra), de Portugal e Espanha.

A organizadora do evento é a incansável chef Rosane Radecki, do Girassol, que recentemente promoveu, no mesmo local, a primeira edição de seu Carneiro no buraco. O sucesso do evento foi tamanho que, já na oportunidade, ela anunciava novos empreendimentos (publiquei no blog, leia aqui). E a confirmação da presença de Rodrigo Bellora, que ela conheceu em um evento semelhante no Rio Grande do Sul, foi a base para a armação das tentações gastronômicas do próximo sábado. A razão da escolha do Porco moura no fogo de chão é justamente o resgate da história dos Porcadeiros, tropeiros de porcos que foram muito importantes no desenvolvimento do Paraná. Para acompanhar, os presentes terão feijão tropeiro, quirera crioula e saladas.

Mas as opções gastronômicas não se limitarão apenas ao porco e a seus entornos. Há outras pessoas envolvidas, como o padeiro Rene Seifert Junior, do Pão da Casa (também de Palmeira), que, depois de assar pão no buraco no agito anterior, promete agora fazer um pão no espeto, para aproveitar a brasa abundante à disposição. E se o assunto é brasa, a maior especialista no tema por aqui, a chef Eva dos Santos, do Bistrô do Victor, também estará em ação, com legumes, tubérculos e tudo o mais que aparecer para ser devidamente chamuscado.

Isso sem contar a premiada Manu Buffara, do Manu, que acaba de retornar da Áustria, onde participou do Gelinaz upper Austria como única chef representando o Brasil. Manu ficará encarregada dos molhos para ornar a carne assada e vai finalizar no local três deles: Picles de abacaxi, Salsa de manga picante e Ketchup caseiro de goiabada picante. E ainda tem a Flávia Rogoski, do Bon Vivant, mestre queijeira e, consequentemente, especialista em queijos, que vai servir uma Salada com queijo purungo na brasa com molho de mel de abelha nativa. Além disso, vai testar, também, um Purungo na brasa para aperitivo.

O festival ainda terá a participação de cervejarias artesanais de Palmeira, com chope da Nat Bier e também da Usinamalte, que tem fábrica na Colônia Witmarsum.

No fundo do fundo vai ser muito mais do que um simples almoço. Tanto que o horário previsto é bem amplo, das 12h30 às 19h, justamente para que todos possam curtir a natureza. Sem contar a beleza da paisagem no entorno da BR-277, desde o recanto do Rio dos Papagaios até a entrada em Witmarsum. O restaurante Girassol fica a 80km de Curitiba, cerca de uma hora e meia de viagem, se muito.

Os 150 ingressos estão sendo vendidos antecipadamente, a R$ 50 por pessoa (bebidas à parte). No dia, para venda no local (se ainda restarem convites, pois no dia do Carneiro no buraco eles se esgotaram), o valor será de R$ 60 por pessoa.

O quintal do Restaurante Girassol está sendo preparado para receber 150 pessoas no evento do próximo sábado. (Foto/ Divulgação)

Restaurante Girassol

Rodovia BR-277, Km 168,4 – Palmeira

Fone: (42) 3252-1778

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=

Entre em contato com o blog:

Blog anterior: http://anacreonteos.blogspot.com/

Twitter: http://twitter.com/AnacreonDeTeos

E-mail: a-teos@uol.com.br

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]