i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Paraná S.A

Foto de perfil de Paraná S.A
Ver perfil
Estudo

Os novos hábitos de consumo na pandemia e o que os empresários podem aprender com eles

  • [19/07/2020] [08:00]
Pandemia ressaltou busca por produtos de saúde e higiene, como o álcool gel
Pandemia ressaltou busca por produtos de saúde e higiene, como o álcool gel| Foto: Gazeta do Povo

Ao lado de todo o legado comportamental, a pandemia do novo coronavírus deve deixar seus rastros nos hábitos de consumo. De acordo com um levantamento da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), as empresas paranaenses precisam estar preparadas para aumento na demanda de produtos de higiene, serviços ligados à área de saúde e conteúdos transmitidos pela internet (aulas online, por exemplo).

CONFIRA mais notícias sobre empresas do Paraná

O aumento nas buscas por este padrão de produto e serviço se tornou frequente nos últimos meses e, ao que tudo indica, eles vieram para ficar. O levantamento da Fiep tomou por base a análise de diversos estudos que avaliam o impacto da crise sanitária na oferta e demanda de produtos e serviços. Os insights podem ajudar industriários paranaenses a se posicionarem neste novo cenário.

O estudo aponta que os brasileiros passaram a priorizar hábitos como lavar as mãos, usar álcool gel e fazer a higienização pessoal, da casa e de alimentos, em detrimento de outras atividades. “O consumidor poderá desenvolver novos hábitos de higiene, o que representa uma oportunidade para que empresários fortaleçam ainda mais o marketing sobre tais temas e, assim, possam captar e ampliar suas demandas de longo prazo”, diz o estudo.

Para se ter um exemplo, os cuidados com a higiene pessoal subiram de 12% para 25% de antes da pandemia para o início dela. Ainda, 40% das pessoas avaliadas nos estudos aumentaram seus cuidados com a limpeza.

“Globalmente, os consumidores têm expectativa de gastar mais em itens básicos, como alimentos, suprimentos domésticos, produtos de higiene, bem como em entretenimento doméstico. Na direção oposta, à medida que os países avançam na curva de contágio, observa-se redução na possibilidade de compra em algumas categorias como roupas, calçados, joias, acessórios, viagens e entretenimento fora de casa. No Brasil, a expectativa é de aumento no consumo de itens de mercearia e materiais domésticos”, destaca também o estudo.

O aumento de consumo de bens perecíveis (como alimentos) é um dos principais insights. Com mais pessoas em casa, em regime de trabalho domiciliar, a busca pelo armazenamento destes produtos está em alta. “O adiantamento de consumo hoje pode gerar perspectivas de vendas a médio prazo, à medida em que os produtos da dispensa são consumidos. No caso particular dos alimentos, é possível esperar uma expansão sustentável, já que pessoas passarão a consumir mais em casa do que normalmente fariam”, indica a Fiep.

Por fim, o levantamento ressalta uma face mais óbvia do consumo em tempos de pandemia: a venda de produtos em lojas virtuais. “A vida em quarentena poderá remodelar os negócios, impulsionando a comercialização direta e online. Nesse sentido, é importante contar com uma cadeia de suprimentos e logística flexível e estar preparado para mudanças nos canais de comercialização”, aponta.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]
Tudo sobre:

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.