i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Roger Pereira

Foto de perfil de Roger Pereira
Ver perfil

A política do Paraná em primeiro plano

Gravame

Para acabar com guerra entre empresas, governo quer assumir registro de contratos no Detran

  • 26/11/2020 17:19
Showroom da concessionária Toyota Supar Alto da XV, em Curitiba
Showroom da concessionária em Curitiba| Foto: Rodolfo Buhrer

Chegou, na última quarta-feira, à Assembleia Legislativa e já passou a tramitar em regime de urgência, projeto de iniciativa do governador Carlos Massa Ratinho Junior que inclui entre as obrigações do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran) a prestação do serviço público de transmissão de dados para o registro de contratos de financiamento de veículos com cláusula de alienação fiduciária em operações financeiras, consórcio, arrendamento mercantil, reserva de domínio ou penhor.

Na prática, o projeto passa para o Detran a prestação do serviço de registro de contratos que hoje é terceirizada, o que acabaria, se aprovada a nova lei, com uma guerra entra as principais empresas prestadoras do serviço, que impediu que o governador cumprisse um anúncio feito nos primeiros dias de seu governo, em janeiro de 2019, de que baixaria pela metade a tarifa de R$ 350,00 por contrato.

O serviço, que hoje, é prestado por 12 empresas habilitadas junto ao Detran, e movimenta cerca de R$ 15 milhões por mês, está regulamentado por um edital de 2018, do governo Cida Borghetti (PP) e foi alvo da Operação Taxa Alta, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, que culminou na prisão de ex-funcionários do Detran e diretores de uma empresa que monopolizou por quase um ano a prestação do serviço.

No início da gestão Ratinho Junior, o Detran lançou novo edital, abrindo o credenciamento para novas empresas e reduzindo o preço máximo cobrado pelo serviço de R$ 350,00 por contrato para R$ 143,63. O edital, no entanto, foi suspenso pela Justiça, em ação movida por uma das empresas credenciadas no primeiro edital, e, até hoje, a tarifa de R$ 350,00 é cobrada.

Caso aprove a nova lei, o governo deixará de terceirizar o registro dos contratos, que passarão a ser processados pelo Detran e pela Celepar (Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná) ao preço de R$ 173,37 por contrato.

“Cumpre ressaltar que, atualmente, o serviço de registro eletrônico de contratos de financiamento é realizado por empresas privadas, credenciadas ao Detran, razão pela qual o Estado somente permanece com cerca de 25% do valor arrecadado pelo tributo”, sustenta o governador na justificativa da mensagem, citando que, a partir da lei, descontados os custos operacionais, toda a arrecadação será destinada à Administração Pública, principalmente ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

“A prestação do serviço pelo Detran constitui uma importante conquista para o Estado do Paraná, que passará a ter condições de operacionalizar, sem intermediários, o serviço de registro eletrônico de contratos de financiamentos, garantindo ao cidadão segurança e transparência na transmissão de dados referentes aos contratos realizados, assegurando a procedência e legitimidade dos contratos registrados em sua base e, consequentemente, dos negócios jurídicos deles consubstanciados”, segue a justificativa.

2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 2 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • J

    JJP

    ± 0 minutos

    calma, eles já vão se acertar com os deputados, está faltando o valor dos "honorários", mas logo logo sai, não se iludam

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • J

      Joao batista lopes dos santos

      ± 9 horas

      É isso ai governador.Prova que no seu governo não tem esse negócio de JABACULÊ .........o próprio DETRAN fará o procedimento com um valor quase a metade e orecurso arrecadadoo próprio DER poderá investir nas estradas........Parabéns joao feio

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      Fim dos comentários.