PUBLICIDADE

Noivas Nervosas

Enviado por admin, 03/08/12 12:08:00 PM
Moomettes/Creative Commons

Chega de blog, então. As cinco personagens apresentadas para vocês lá atrás, há quase um ano, já se casaram. Aliás, um casal se separou antes do grande sim… mas os dois passam bem, não se preocupem.

Uma leitora sugeriu continuar com posts sobre relacionamentos. Realmente, é um tema que está faltando entre os blogs da Gazeta do Povo! Vamos esperar que surja alguém que preencha essa lacuna.

A mesma leitora respondeu nossa questão sobre quando vale a pensa se casar: “Casar vale a pena quando os dois estão preparados para encarar a vida com companheirismo. Nao é fácil, é um exercício diário. Mas vale a pena quando se tem amor!”

Falou bem!

Fica então um recado para todas as mulheres – e homens – que estão se preparando para o casamento. A festa, em si, é só uma vírgula na história do relacionamento de vocês. Vale festejar na medida que as possem permitam, claro, mas guardem energia para celebrar no dia a dia essa escolha, com paciência, perdão, humildade…ixi, tudo que se fizer com transparência e verdade está valendo.

E agora para as leitoras que estão procurando um par. Ele não existe!

Brincadeiras à parte, é bom jogar longe aquela ideia romântica de tampa da panela, metade da laranja, unha e carne e o que mais Fábio Júnior colocou na sua cabeça.

Se o homem a mulher tiverem o coração aberto um para o outro e tomarem uma decisão consciente e conjunta sobre a vida a dois, existe muita chance de que a coisa engrene!

Pensar assim traz um alívio, porque virtualmente qualquer casal pode dar certo. Você não precisa percorrer o mundo atrás do único ser humano que irá completá-la.

Alguém irá dizer “aaaa, mas sem química não rola”. Bom isso fica para outro blog responder…

Um beijão!

Enviado por admin, 13/07/12 6:11:00 PM
PeterJBellis/Creative Commons

Este blog dedicado às emoções de noivas e noivos está chegando ao fim – afinal, todas as personagens que relataram ali suas experiências já se casaram. Com exceção de uma separação, que também faz parte da vida…

Sugiro um último post, voltando ao começo de tudo: quando vale mesmo a pena se casar?

Deixe sua opinião aqui embaixo na seção de comentários!

Enviado por admin, 03/07/12 1:03:00 PM
Veja dicas de vestido em www.ivillage.com/200-best-designer-wedding-dresses-2012

Nesta semana temos um brinde precioso: uma lista elaborada pela psicóloga Tayana Passos sobre os fatores que mais incomodam as noivas nervosas. Veja só o que ela escreveu para nós:

As noivas possuem inúmeros compromissos e responsabilidade antes, durante e depois do seu grande dia. Tantas escolhas para serem feitas, tantas pessoas para agradar, como dar conta de tudo?

Elas geralmente querem dar conta de tudo, mas muitas vezes não sabem como, afinal, geralmente é a primeira vez que se casam!

Os motivos de maior estresse das noivas são:

*** Lidar com uma sogra muito presente, que quer mandar, decidir e fazer acontecer mais do que a noiva

*** Um noivo que não participa e se mostra indiferente com as escolhas, causando tristeza por parte da noiva

*** Uma mãe fisicamente mais bonita ou mais bem cuidada, que deseja aparecer mais do que a noiva

*** Problemas na hora de acertar o pagamento dos fornecedores: quem paga a festa, como a divisão do pagamento é feita e por quem. Isso porque quem paga a festa tende a acreditar que teria o poder de decidir os detalhes da decoração, vestido da noiva etc…

*** Conciliar o sonho com a realidade financeira das famílias

*** Pais divorciados que não suportam estar juntos em um mesmo ambiente

*** Irmãos e cunhadas invejosas, que fazem pouco caso do evento ou criticam cada detalhe

*** Decidir adotar ou não o sobrenome do marido no nome do solteira

*** Sobrepeso e limitação na hora da escolha do vestido de noiva

*** Autoestima baixa e pensamento pessimista de que tudo vai dar errado

*** Dificuldade em decidir, e bancar as escolhas apesar das criticas

*** Gasto de energia excessivo na organização do evento e pouco investimento afetivo na relação entre os noivos

*** Grandes diferenças de valores entre as famílias. Cada família possui sua peculiaridade, e consequentemente suas dificuldades. Tudo é possível de ser resolvido no que se diz respeito à convivência humana, basta acreditar e agir a favor daquilo que se deseja alcançar.

Para mais informações veja o site dela aqui.

Enviado por admin, 20/06/12 5:11:00 PM
Divulgação

Não sei o que vocês acham das feiras de noivas. Eu fui a apenas uma, mas achei divertido, ainda que um pouco cansativo olhar para todos os lados e ser assediada por tantos vendedores.

Rendeu bem: encontrei lá (na feira do shopping São José dos Pinhais) a cerimonialista que eu queria. Desde o primeiro olhar senti confiança na garota. Trocamos contatos e logo “fechamos” (engraçado como essa palavra entra para o vocabulário da noiva com rapidez. O que importa é “fechar” contratos com fornecedores com o melhor custo benefício, o mais rápido possível).

Pois bem, eis que surge mais uma oportunidade de ter esse “olho no olho”, para você que está enlouquecida atrás da organização da sua festa.

Será neste domingo, 24 de junho, na Havan do Xaxim (Rua Francisco Derosso, 3.488). O horário é das 14 às 20 horas.

Serão 16 expositores, trazendo tendências e novidades em produtos e serviços. Haverá desfile de vestidos às 16h e 18h.

Para quem for acompanhar alguma noiva-stress, o mais divertido é aproveitar os brindes (tem degustação de vinho!).

A entrada é franca! Aproveite.

Enviado por admin, 18/06/12 5:23:00 PM
doobybrain/Creative Commons
O apartamento das revistas demora a ficar pronto…

Não, ninguém se separou. Foi só a prateleira do Noivo Simples, atual Marido Simples, que despencou sob o peso das enciclopédias.

É bom falarmos um pouco do pós-casamento, o day-after, para que noivas e noivos se preparem. Ninguém quer que nada dê errado na festa, claro, mas é bom deixar um pouco do fervor organizacional para arrumar a casa nova depois.

No caso de Mr. and Mrs. Simples, nossos personagens, o que pega é a ansiedade de que tudo fique arrumado o mais rápido possível. O problema é que, só agora, os casais mais velhos começaram a avisar que, na casa deles, “ainda há caixas da mudança”, “o provisório virou permanente”, e assim vai.

Você compra sofá, geladeira, fogão, ganha um monte de coisas, e quando termina a arrumação, precisa começar o ciclo de novo. Trocar o processador (hoje tudo é feito para quebrar), a cobertura do sofá, consertar a geladeira.

E lá estão nossos modelos de simplicidade, às voltas com marceneiros que não aparecem (o serviço é simples demais), a televisão ainda sem antena, o fogão que vaza gás e os vidros acumulando poeira.

A esposa-decoradora, nossa mais nova personagem, mudaria, se pudesse, o banheiro do apartamento. “Ele é horrível. Mas só de pensar na zona que seria, decido que vai ficar assim mesmo.”

*****

Romantismo é outro tema crucial dentro do casamento que precisa ser abordado. Você que já se casou tem alguma história para compartilhar sobre isso?

Enviado por admin, 06/06/12 10:27:00 AM

E aí, respondam essa: casamento simples precisa/pode ter lembrancinhas?

Essa foi uma dúvida da Noiva Simples quando marcou sua “garden party”. Ela decidiu não oferecer nada, já que o cardápio em si era simples (miniquiches de quatro sabores, bolo maravilhoso, docinhos mais ainda, espumante, refris e água). O local, o salão da igreja. Não combinaria, ela achou, ter mais um quitute numa cestinha na saída.

Já a Noiva Chique, como diz o apelido, não poderia ter dispensado o mimo na saída da festa — ainda que tenha sido um jantar de participação, dois meses após o casório. Ela presentou os convidados com de-li-ci-o-sos bem-casados.

Aliás, entre objetos que se obrigue os convidados a armazenar ou jogar fora, com dorzinha no coração, e esses docinhos, fico sempre com a segunda opção.

Não precisa necessariamente ser o bem-casado. Veja aqui umas fotos de amêndoas doces, muito comuns nas lembrancinhas da Europa, confetes e potinhos para – hummm – cremosos brigadeiros.

Divulgação
Divulgação
Divulgação

Essas são criações da Festividades. A empresa agenda reuniões para conversar com os noivos e entender o que desejam e podem sair até com opções exclusivas.

É algo que muita gente valoriza – a inovação nos detalhes de sua festa: nada igual ao de todo mundo.

Para mais informações visite o site.

Enviado por admin, 23/05/12 11:31:00 AM
Divulgação
O Cieteo, onde será realizada a 17ª edição do salão Noiva Sul.

Pessoal, hoje tenho duas dicas bem práticas para quem está organizando o casamento.

A primeira é sobre o início do Salão Noiva Sul (já é a 17ª edição), que começa nesta quinta e vai até o domingo.

O que tem lá? Além dos tradicionais estandes com prestadores de serviço especializados, várias coisas a conhecer, como no desfile de vestidos de noiva.

É uma super oportunidade para conhecer produtos de que nunca ouvimos falar – por exemplo, todo mundo conhece as cestas prontinhas com produtos para o banheiro do salão da festa? Acho lindas.

Também haverá sorteios em vários estandes. Fora que é uma chance de conhecer fornecedores e olhar no olho logo no primeiro contato – para mim, o único jeito de escolher é casar o preço com a confiança na pessoa.

Então anotem:
17.º Salão Noiva Sul
De 24 a 27 de maio, das 15h às 22h
Centro de Eventos da FIEP (Av. Comendador Franco, 1341 – Jardim Botânico, em Curitiba). Veja o mapa.

**

A outra dica é mais pessoal. Temos uma noiva que cancelou o contrato com o bufê com o qual tinha feito negócio e está repassando o crédito com um desconto camarada.
O e-mail para contato com ela é priscylak@hotmail.com.

Enviado por admin, 18/05/12 6:11:00 PM
jilly~bean/Creative Commons

Olá, noivas e noivos (percebo que temos leitores do sexo masculino também, o que acho ótimo).

Proponho discutir nas próximas semanas uma série de temas surgidos numa conversa com a psicóloga Tayana Passos sobre que fatores e situações mais causam ansiedade aos noivos.

O primeiro dos itens citados por ela é o equilíbrio financeiro, tanto em relação à festa quanto à vida a dois.

Uma das situações que causam dúvidas é o quanto o casal pode fazer do seu jeito quando os pais estão pagando pela festa.

Claro que isso depende do estilo de cada família. Há pais que não impõem sua vontade, outros, sim, e como!. “Aí, vai do jogo de cintura da noiva, em agradecer a gentileza e negociar um meio termo”, explica Tayana.

Segundo ela, não é indelicado argumentar que a festa é da dupla e que seus pais já tiveram sua “vez” de se casar.

Aqui alguém poderá lembrar as mães que dizem: “No meu tempo fiz o casamento que a sua avó queria, e agora vamos fazer do meu jeito”.

E você, como lida com as vontades dos seus pais para sua festa?

Mais dicas você pode consultar no site
www.tayanapassos.com.br.

Enviado por admin, 14/05/12 5:07:00 PM
Elenize Dezgeniski/Divulgação

Vou dividir com vocês minha resenha sobre a peça de teatro “Curitiba Vestida de Noiva”, que está em cartaz no Barracão EnCena até dia 20 de maio. É um para a série “leia quem tem estômago”, já que fala de uma garota deixada no altar — história real ocorrida na porta da igreja Santa Teresinha nos idos dos anos 1970.

Quando as pesadas cortinas de veludo azul do Barracão EnCena se abrem, o espectador de Curitiba Vestida de Noiva vê um cenário branco que sugere claustrofobia. E no meio está realmente uma alma apertada, daquelas que, recebida a wwwida deixa, desfia uma trama intrincada sem parar.

A monocromia dá lugar, a seu tempo, a um festival de imagens em preto e branco projetadas sobre todo o cenário. Começa quando a protagonista, Amanda, narra seu 17 de julho de 1975, dia em que nevou em Curitiba. Ao contrário de todo o resto da cidade, ela fica irritada com a diversão que embala o município, atrasando seu percurso. Para ela, o importante era cumprir o roteiro de noiva, passando pelo salão Marly e pela casa da costureira Cotinha, desembocando na porta da Igreja Santa Teresinha. Ali, em vez de relaxar, ela é abandonada, uma decepção que a marcaria para sempre.
Agenda

Quem lhe dá vida é Claudia Minini, que passeia por toda a história da personagem. São tantos acontecimentos que fica impossível não se identificar com algum.

Há o tratamento pós-traumático, quando ela é isolada numa chácara. Ali, recebe e tritura uma carta do noivo. Depois, se muda para Porto Alegre, onde dá aulas de dança incansavelmente; instala um estúdio na antiga casa da infância; vai viver nos EUA; conhece dezenas de imigrantes latinos, se junta com um homem com quem decide não ter filhos; e se depara com a necessidade de perdoar, muitos anos depois.

O texto é de Enéas Lour, que pela primeira vez dirige um monólogo. Um dos elementos que apoiam a cena é o vinho, associado à rememoração de Amanda, agora com 57 anos de puro sarcasmo.

Outra escolha interessante é um pequeno refrigerador no fundo do cenário. Além de proporcionar uma luz interessante quando aberto, ele funciona como um túnel da imaginação, entregando objetos diferentes a cada vez que é aberto. Dali saem auxílios para a memória, como sapatilhas de dança, ou frutos da idealização, como roupinhas de bebê.

Com a porta fechada, o eletrodoméstico também serve de suporte para projeções, em um momento em que a atriz contracena com Luiz Carlos Pazello em vídeo. Silvia Monteiro também está presente virtualmente.

No fim, o branco já está sujo de tanta vida, assim como a neve virou lama de tarde naquele dia de julho de 1975.

Serviço

Curitiba Vestida de Noiva
Teatro Barracão EnCena (R. Treze de Maio, 160), (41) 3223-5517. Quarta a domingo, às 20 horas. R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada). Até 20 de maio.

Enviado por admin, 04/05/12 5:12:00 PM
Daniel Castellano/Gazeta do Povo

Alerta! Spoiler, spoiler! Se você está de casamento marcado e é ultrassensível, evite ler este post, que pode deixá-la com uma tensão desnecessária. Todos nós conhecemos a instável alma da noiva… O fato é que em algum momento precisávamos explicar o sumiço da Noiva Prática, atual ex-Noiva Prática… pois é, infelizmente o casamento marcado para este mês não aconteceu. Se tiver estômago, acompanhe abaixo a garra com que ela passou por esse dia tão esperado. E bom fim de semana!

“Eram 17 horas e eu estava aguardando por ele com aquele friozinho na barriga… há três meses, eu havia programado para esta data, 1º de maio, o meu casamento. Neste horário, o plano era que os amigos, parentes e o noivo estivessem me esperando, mas agora eu estava na fila do cinema que, wwwido ao feriado, era enorme. Havia marcado um encontro às escuras com alguém que conheci pelo Facebook e estava esperando pelo moço desconhecido.

Ele apareceu. Pessoa interessante, não era um garoto malhado de rostinho bonito. Era simplesmente um homem, de barba, jeans, camiseta preta com jaqueta de couro e tênis. Look perfeito para a ocasião e compatível com a idade dele: excelente primeira impressão. Conversamos um pouco e eu, que estava receosa por este encontro, me senti à vontade. Um perfeito cavalheiro que comprou os ingressos do cinema 3D. Uau… não me lembro há quanto tempo não recebia uma gentileza dessas!

Não cabe aqui contar o fim do meu relacionamento com o meu ex-noivo, que é história antiga, mas sim como conheci o Carlos e recebi o convite para o cinema. Então, melhor retornar a história para a sua ordem cronológica, desde o início do feriado.

Eu estava superpreocupada com o feriado de 1º de maio. Um mês antes, estava verificando com todas as minhas amigas quem iria viajar; até procurei uns pacotes em agência. Mas percebi que viajar sozinha ia ser deprimente e, diante ao fato de eu estar comprando um novo imóvel e começando uma nova vida, não poderia me dar ao luxo de gastar com uma viagem cara. Então resolvi esperar.

Também fazia algumas semanas que alguém, não lembro quem, me sugeriu um aplicativo do Facebook para conhecer pessoas. Odeio esses aplicativos, mas resolvi me arriscar. Resultado: odiei! Tentei até conversar com algumas pessoas, mas não deu certo. Porém, encontrei quatro rapazes que insistiram em conversar comigo e para quem passei o meu MSN. Desses, três me adicionaram.

Então, há algumas semanas, duas amigas com quem fiz pós-graduação há muito tempo me convidaram para ir a Tibagi, uma cidade com muitos atrativos de ecoturismo. Um programa perfeito: turma animada, cidade a 200 km para encarar numa viagem de carro sem muito gasto, rafting + trilhas + rapel acompanhados de uma linda paisagem. Programa perfeito que em nada lembraria o meu ex, já que ele não era o tipo “aventureiro”. O detalhe é que voltaríamos na segunda-feira, dia 30 de abril. Ou seja… ainda precisaria de um programa para o dia seguinte.

Já havia conversado com umas amigas e com a família antes da viagem e todos se comprometeram em planejar algum churrasco, almoço ou qualquer coisa animada para eu não ficar em casa no dia 1.º de maio, então não me preocupei e fui viajar.

A viagem foi incrível, em alguns momentos pensei em como o meu ex-noivo curtiria ver aquelas paisagens, mas em outras lembrei do quanto ele ia reclamar dos probleminhas. A saudade bateu… mas junto com ela veio uma certeza: a companhia das meninas era mais divertida!

Na segunda, cheguei exausta e fui dar uma volta. No trajeto, uma ou duas lágrimas podem ter escorrido por baixo dos óculos de sol… À noite, algumas amigas haviam programado um jantar justamente para eu “esquecer” o dia seguinte. Outras amigas também me convidaram para a balada, para eu aproveitar o feriado, “encher a cara” na segunda e ficar na cama dormindo e de ressaca na terça, mas o frio me impediu e contentei-me com o jantar.

Acordei super tarde na terça-feira, dia 1º de maio, e olhei para o céu: azul! Lindo! Sim, isso me deu raiva. Eu pedi a Deus para que esse dia fosse cinza de raios e trovões, para que eu ficasse em casa debaixo das cobertas chorando à vontade e grata por não me casar neste dia, mas Ele quis me dar este dia lindo, apesar de frio, eu não consegui ficar na cama… despertei e fui para o computador atualizar umas fotos da viagem e ler os e-mails e posts do facebook do final de semana.

Liguei para as minhas amigas e todas estavam com preguiça, mas com carinho sempre me respondiam coisas como: “Estou super cansada, bebi demais ontem, mas posso ir ao cinema se você quiser”. “Amiga, não estou a fim de sair para almoçar, mas sei que este dia é difícil para você, se quiser pode vir aqui em casa almoçar comigo”. “Tenho um compromisso agora, mas podemos marcar uma janta hoje para você não ficar em casa”. Sei que, se eu chorasse um pouquinho, todas elas ficariam comigo no dia do meu não-casamento, mas não quis abusar, até porque sair com apenas uma amiga me faria falar e falar do ex. Não… eu queria fugir exatamente disso!

Almocei com a minha mãe, mas a tarde começou e eu estava inquieta novamente: sem compromissos, um frio e um céu que me dizia “NÃO FIQUE EM CASA”. Voltei ao velho computador, nenhuma novidade até que o Carlos, o tal desconhecido adicionado no meu MSN estava on-line e resolvi perguntar o que ele estava fazendo. Ele disse que ainda estava embaixo dos cobertores e eu respondi que não conseguia ficar dormindo até aquela hora, que até tinha pensado num cinema, mas que provavelmente todos estariam lotados. Ele respondeu “que pena!” e eu perguntei porque, e ele disse que queria me convidar para o cinema. Bom, nesse ponto eu respondi que topava encarar uma fila se tivesse companhia. Assim marcamos de nos encontrarmos às 17h para conversarmos e assistirmos uma sessão às 19:10! Perfeito… posso dizer que Deus colocou mais um dos seus anjos em meu caminho para ocupar a minha tarde. E lá fui eu.

O encontro com o Carlos já mencionei no inicio deste texto. Depois de mais de uma hora de fila e ingressos comprados fomos tomar uma cerveja e petiscar alguma coisa aguardando a sessão. Gostei do papo, do fato de ele ter bom gosto musical e curtir cinema e seriado. Não gostei de ele fumar muito e não entender nada sobre vinhos. Como eu gosto de um bom vinho, descobri que será melhor pedir uma Coca-cola se um dia sairmos para jantar!

A noite foi ótima, terminei o dia bem, acordei na quarta feira um pouco mais animada. Encerrou-se um ciclo e começa um novo dia, que com certeza não está sendo fácil, mas me orgulho da minha resiliência e das pessoas que Deus tem colocado no meu caminho durante este percurso de pedras. Abro um sorriso maior quando recebo uma mensagem na hora do almoço informando que o Carlos gostou da minha companhia! Assim… a minha vida continua.

Páginas123456
Este é um espaço público de debate de idéias. A Gazeta do Povo não se responsabiliza pelos artigos e comentários aqui colocados pelos autores e usuários do blog. O conteúdo das mensagens é de única e exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.
Buscar no blog
Assine a Gazeta do Povo
  • A Cobertura Mais Completa
    Gazeta do Povo

    A Cobertura Mais Completa

    Assine o plano completo da Gazeta do Povo e receba as edições impressas todos os dias da semana + acesso ilimitado no celular, computador e tablet. Tenha a cobertura mais completa do Paraná com a opinião e credibilidade dos melhores colunistas!

    Tudo isso por apenas

    12x de
    R$49,90

    Assine agora!
  • Experimente o Digital de Graça
    Gazeta do Povo

    Experimente o Digital de Graça!

    Assine agora o plano digital e tenha acesso ilimitado da Gazeta do Povo no aplicativo tablet, celular e computador. E mais: o primeiro mês é gratuito sem qualquer compromisso de continuidade!

    Após o período teste,
    você paga apenas

    R$29,90
    por mês!

    Quero Experimentar