Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Enkontra.com
PUBLICIDADE

Reação

Rebeldes matam 16 sírios, incluindo cristãos e alauitas, diz oposição

De acordo com o Observatório Sírio de Direitos Humanos, os mortos pertencem a famílias de empregados de uma companhia de eletricidade de Jandar, a 30 km de Homs

  • Folhapress
 
0 0 COMENTE! [0]
TOPO

O grupo opositor Observatório Sírio de Direitos Humanos informou nesta terça-feira (7) que forças contrárias ao regime de Bashar Assad fizeram um ataque a uma casa na Província de Homs, região central do país, deixando 16 mortos, sendo a maioria de etnia alauita e religião cristã. De acordo com a organização, que tem sede em Londres, os mortos pertencem a famílias de empregados de uma companhia de eletricidade da cidade de Jandar, a 30 km da cidade de Homs. Os rebeldes abriram fogo e mataram seis alauitas, incluindo o diretor do centro, seis cristãos e quatro sunitas.

O anúncio do Observatório, que faz oposição a Assad, menciona pela primeira vez a etnia dos mortos nos confrontos. A etnia alauita é a mesma do ditador sírio e é minoritária em relação aos sunitas, que compõem a maioria dos grupos rebeldes.

Além das duas etnias, a população do país também é composta por curdos e cristãos. Caso confirmado, o ataque mostra o rumor de que o conflito entre oposição e Assad se transforme em uma guerra sectária. Mais cedo, a secretária de Estado americana, cobrou sinais para evitar que os enfrentamentos se transformem em um conflito sectário.

"Nós temos que enviar sinais bem claros sobre evitar uma guerra sectária. Estes que tentam explodir a situação mandando enviados ou combatentes terroristas precisam perceber que não serão tolerados."

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Mundo

  1. Michelle Martinez pode ficar até 70 anos na cadeia | Reprodução Fox News

    ESTADOS UNIDOS

    Mulher trans pode pegar até 70 anos de prisão após estupro de criança em banheiro

  2.  | Brendan  Smialowski/AFP

    eua

    Trump confirma abertura de arquivos do assassinato de Kennedy

  3.  | GABRIEL BOUYSAFP

    decisão

    Espanha decide dissolver governo e retirar autonomia da Catalunha

PUBLICIDADE