A versão aventureira ficará posicionada no meio do catálogo do Argo. Foto: Fiat/ Divulgação
A versão aventureira ficará posicionada no meio do catálogo do Argo. Foto: Fiat/ Divulgação| Foto:

Enquanto prepara a chegada do SUV derivado da picape Toro, previsto para 2021, a Fiat investe numa antiga receita para satisfazer o consumidor que curte o estilo fora de estrada dentro da cidade.

A marca lança o Argo Trekking, com roupagem repleta de apliques e adesivos, ajustes na suspensão e pneus de uso misto, que deixam o carro mais descolado e com um visual para ser visto nas ruas.

O sobrenome é o mesmo usado pela picape Fiorino na década de 1990 e usado hoje em dia pela Strada. Ele identifica a solução mais light para quem busca uma proposta aventureira.

Já a linha a Adventure, disponível na Strada e na perua Weekend, oferece recursos mais pesados para encarar terrenos hostis.

>> Os carros da Fiat e da Jeep que terão motores turbo 1.0 e 1.3 no Brasil

Apresentação do Argo Trekking à imprensa automotiva. Foto: Renyere Trovão/ Gazeta do Povo
Apresentação do Argo Trekking à imprensa automotiva. Foto: Renyere Trovão/ Gazeta do Povo

A novidade está posicionada acima da versão 1.3 Drive e abaixo da Precision. Por enquanto, será oferecida em configuração única, ao preço de R$ 58.990.

VERSÕES DO ARGOPREÇO
1.0R$ 48.990
1.0 DriveR$ 52.690
1.3 DriveR$ 53.690
1.3 TrekkingR$ 58.990
1.3 GSRR$ 61.790
1.8 Precision AT6R$ 63.590
1.8 HGT AT6R$ 69.990

A tabela é inferior a dos concorrentes com o mesmo apelo aventureiro, porém fica à frente na motorização somente do Onix Activ.

ModelosMotorPreço
Fiat Argo Trekking1.3R$ 58.990
Sandero Stepway1.6R$ 60.790
Chevrolet Onix Activ1.4R$ 62.290
Hyundai HB20X1.6R$ 63.990
Ford Ka Freestyle1.5R$ 64.090

O Argo Treeking se destaca pela pintura bicolor, teto e retrovisores em preto, outros detalhes escurecidos, como os logotipos da Fiat e a faixa fosca no centro do capô (inspirado no Renegade Trailhawk), além dos adesivos que nomeiam a versão.

Também exibe o tradicional kit aventureiro de série: proteções plásticas dos para-lamas rack no teto e faróis de neblina.

Há uma pitada de esportividade na ponteira de escape em formato retangular, trazida do Argo HGT.

>> Nova picape da Fiat é flagrada nas ruas e ficará abaixo da Toro

Foto: Fiat/ Divulgação
Foto: Fiat/ Divulgação

O interior acompanha a temática externa, com forração mais escura e o 'Trekking' bordado nos bancos dianteiros - as costuras dos assentos são em laranja.

O tom escurecido aparece no logo da Fiat no volante e no painel central. Já as saídas de ar são cromadas, transmitindo um ar mais sofisticado à cabine.

Suspensão e motor

O conjunto recebeu novas molas, calibração específica dos amortecedores e pneus de uso misto Pirelli Scorpion STR, na medida 205/60 R15, o mesmo modelo que calça o Renegade Trailhawk, só que mais estreito.

O motor é o conhecido 1.3 8V Firefly, com quatro cilindros, que rende 101/ 109 cv e 13,7/ 14,2 kgfm (gasolina/ etanol). O torque máximo já disponível a 3.500 rpm, o que garante respostas mais rápidas nas acelerações.

>> Fiat vai ressuscitar Grand Siena ‘Tetrafuel’, movido também a GNV de fábrica

Foto: Fiat/ Divulgação
Foto: Fiat/ Divulgação

A família de motores Firefly é reconhecida por entregar mais força em baixas rotações e apresentar baixos ruídos e vibrações.

Por ora vem associado ao câmbio manual de 5 marchas, mas a partir de 2020 ganhará também o novo automático do tipo do CVT para substituir a atual automatizada GSR.

A lista de itens de série inclui direção elétrica, sistema multimídia Uconnect de 7 polegadas sensível ao toque com Apple CarPlay e Android Auto, vidro elétricos nas quatro portas e retrovisores elétricos. Rodas de liga leve aro 15 são opcionais, bem como a câmera de ré com linhas dinâmicas.

Foto: Renyere Trovão/ Gazeta do Povo
Foto: Renyere Trovão/ Gazeta do Povo

Como anda o Argo Trekking

A Fiat organizou um test drive na região de Mogi das Cruzes (SP), mesclando trajeto de asfalto com trechos de terra batida, com alguns pedregulhos.

E maior altura livre do solo, ao contrário do que se poderia imaginar, não resultou em perda de estabilidade.

Para compensar o centro de gravidade mais elevado, a Fiat deixou as molas mais rígidas e aumentou a carga dos amortecedores.

O resultado é a maior segurança nas curvas e nos desvios rápidos de trajetória, mas sem perder o conforto no rodar, que é uma das características do Argo.

>> Donos de Fiat Tipo que pegava fogo serão indenizados após 23 anos

Foto: Fiat/ Divulgação
Foto: Fiat/ Divulgação

A direção elétrica foi recalibrada para ficar mais firme em velocidades maiores e e dar respostas imediatas nas mudanças abruptas de direção.

A presença do pneu de uso misto faz o carro grudar mais ao chão, especialmente em piso com baixa aderência, como os de terras com pedregulhos.

Os impacto das imperfeições no terreno são bem absorvidos e a altura de 21 cm em relação ao solo garante a transposição sem sustos de buracos e lombadas. Também é uma tranquilidade maior para transpor ruas alagadas.

A ausência dos controles de tração e de estabilidade (só disponível no 1.3 GSR automatizado) coloca um limite nas aventuras fora de estrada e exige mais atenção ao entrar numa curva com o ponteiro do velocímetro na casa dos 100 km/h.

*O jornalista viajou a convite da Fiat

SIGA O AUTO DA GAZETA NO INSTAGRAM

Visualizar esta foto no Instagram.

MÉDIA DE KM RODADO NO ANO Um levantamento feito pela KBB Brasil, referência no país em precificação de veículos, constatou que a média anual de quilômetros percorridos pelo motorista brasileiro é bem menor do que os 20 mil km que se fala em conversas de estacionamento. São 12,9 mil km de distância rodados no primeiro ano de uso do veículo. À medida que o automóvel vai envelhecendo, essa média tende a baixar em cerca de 400 km ao ano. Ou seja, o carro que circula quase 13 mil km nos primeiros 12 meses, em cinco anos deixará de trafegar 2 mil km. O que somaria 63 mil km e não os 100 mil km como reza a lenda de mercado. E existem diferenças enormes nos valores apurados entre um estado e outro. Lembrando que a quilometragem é um fator decisivo na hora de comprar ou vender um veículo. Quanto mais alta, menores as chances de fazer negócio pelo preço pretendido. ESTADO KM Tocantins 17.600 Distrito Federal 14.600 Mato Grosso 14.600 Roraima 14.300 Goiás 13.700 Mato Grosso do Sul 13.700 Rio Grande do Norte 13.400 Acre 13.300 Paraíba 13.100 Paraná 13.100 Sergipe 13.100 Maranhão 13.000 São Paulo 13.000 Alagoas 12.900 Minas Gerais 12.900 Amazonas 12.800 Santa Catarina 12.800 Piauí 12.600 Amapá 12.500 Bahia 12.500 Rondônia 12.500 Rio Grande do Sul 12.200 Pará 12.100 Ceará 11.900 Espírito Santo 11.700 Rio de Janeiro 11.600 Pernambuco 11.100 #km #quilometragem #motorista #kbbbrasil #carros #automoveis #cargram #instacar #gazetadopovo Foto: Bigstock

Uma publicação compartilhada por Automóveis Gazeta do Povo (@autogazetadopovo) em

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]