Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Atendimento especial para a terceira idade.
Atendimento especial para a terceira idade.| Foto: Divulgação/Prefeitura de Curitiba

Dentre as medidas anunciadas nesta quinta-feira (19) para o controle da pandemia do novo coronavírus, a Prefeitura Municipal de Curitiba determinou o isolamento domiciliar de idosos com mais de 70 anos, considerado o pior grupo de risco para a Covid-19, uma vez que o risco de mortalidade é exponencialmente maior na população idosa e com comorbidades como diabetes e hipertensão.

RECEBA notícias pelo WhatsApp

Pelo novo decreto, “fica sendo obrigatório o isolamento domiciliar de pessoas com 70 anos ou mais e proibida a visitação de idosos nas instituições de longa permanência. Para idosos que estejam enfermos poderá ser autorizada a presença de um acompanhante, de acordo com avaliação do responsável técnico da instituição”.

Apesar de ser uma determinação por decreto, a prefeitura de Curitiba ainda não previu nenhuma forma de fiscalização e, muito menos, punição a quem desrespeitar o isolamento domiciliar dos idosos. Segundo o diretor do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde, Alcides Oliveira, neste primeiro momento, o decreto visa reforçar a orientação para que os idosos não tenham contato com outras pessoas.

“Estamos pedindo para que cuidemos de nossos idosos. Para que parentes, amigos e vizinhos se engajem nesta rede de solidariedade, evitando que eles saiam de casa. Contamos com o engajamento do curitibano. Apenas se essa medida for insuficiente que pensaremos em determinações mais drásticas”, diz. “A doença é leve para 90% da população, mas pode ser muito grave entre os idosos. Um decreto assim serve para deixar ainda mais claro para as pessoas a importância desta medida”, acrescenta.

Oliveira contou que o Centro de Operações de Emergência da prefeitura ainda não cogita suspender a validade dos cartões transporte que dão gratuidade no transporte coletivo a idosos, medida adotada por outros municípios como tentativa de conter a circulação deste público. “Não foi pensado nisso ainda. Temos responsabilidade individual. Qualquer medida mais drástica tem que ser comunicada ao conjunto da sociedade. De hoje para amanhã, não poderia fazer isso, temos respeito ao indivíduo”, comentou.

18 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]