Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Feira de Inverno na praça Osório terá 17 barracas de artesanato e 25 de gastronomia | Antônio More/Gazeta do Povo
Feira de Inverno na praça Osório terá 17 barracas de artesanato e 25 de gastronomia| Foto: Antônio More/Gazeta do Povo

Quentão, pinhão, bolachas artesanais, decoração para a casa e artesanato temático. Esses são alguns dos itens que poderão ser encontrados nas Feiras de Inverno das praças General Osório e Santos Andrade, no Centro de Curitiba, a partir da próxima quarta-feira (14).

Comércio sazonal tradicional da cidade, as feiras ficam nas duas praças até 15 de julho, cerca de um mês. Na Osório, as barracas funcionam de segunda a sábado, das 10h às 21h, e domingo, das 14h às 19h. Já na Santos Andrade, a feria funciona todos os dias, entre 10h e 21h.

Feiras de Inverno de Curitiba

Praça General Osório

De segunda a sábado, das 10h às 21h, e domingo, das 14h às 19h.

Praça Santos Andrade

Todos os dias, das 10h às 21h.

A praça Osório terá 17 barracas de artesanato e 25 de gastronomia, todas selecionadas por edital através do Instituto Municipal de Turismo e da Secretaria Municipal de Abastecimento. Destas, cinco comerciantes irão disponibilizar apenas quentão e pinhão, comidas típicas do inverno e da região.

De acordo com a coordenadora de Arte e Artesanato do Instituto Municipal de Turismo, Marily Lessnau, o potencial turístico da feira é um dos motivos para seu sucesso. “ A cada ano que passa, percebemos que há mais e mais interessados em comercializar na praça e, principalmente, de comprar e apreciar os trabalhos. Também já virou conhecida entre os turistas, que nessa época do ano não vão embora sem passar pela feira”, comenta.

Na praça Santos Andrade, a feira será um pouco menor. Nesse local, o público pode contar com seis barracas para alimentação e cinco para artesanato.

Ainda de acordo com a coordenadora de Arte, entre as quatro feiras temáticas que acontecem nas praças ao longo do ano, a de inverno é a mais movimentada e procurada pelo público.

Colaborou: Cecília Tümler

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]