i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
calor

Janeiro de 2019 é o mais quente dos últimos 5 anos em Curitiba, diz Simepar

  • PorCecília Tümler
  • 29/01/2019 16:17
 | Marco Charneski/Tribuna do Paraná
| Foto: Marco Charneski/Tribuna do Paraná

Não é apenas impressão: este mês de janeiro está muito quente. De acordo com os registros do Instituto Simepar, trata-se do janeiro com as temperaturas mais altas dos últimos cinco anos em Curitiba, a exemplo desta terça-feira (29), que teve termômetros batendo os 33,1ºC. O dia é o mais quente de 2019, e engana-se quem espera que a noite será muito mais fresca.

“Tanto os dias quanto as noites desta semana estão quentes porque não está chovendo o suficiente para refrescar”, explica o meteorologista Lizandro Jacobsen, do Simepar. A ausência da chuva de verão, de acordo com Jacobsen, é explicada pela menor quantidade de umidade no ar - o que impede a formação de nuvens de chuva.

Leia também: Empresas de ônibus de Curitiba pedem fim do Uber Juntos; Urbs analisa

Outra explicação para o calor é que, desta vez, as chuvas estão chegando mais tarde. “Em outros verões, era mais comum que chovesse antes das 15h ou 16h, que é o momento de pico de calor”, explica. Já neste 2019, o que se verifica é que só está chovendo após esse intervalo escaldante. “Ou seja, quando chove o pior já passou”, explica o especialista.

Para quem ficou preocupado com a sensação de abafamento noturna, que dificulta o sono, Jacobsen acrescenta que as madrugadas não irão esfriar tão cedo. Isso significa que há a possibilidade outras de madrugadas como a desta terça, que chegou a registrar 26,1ºC.

A última vez que Curitiba esteve tão quente em janeiro foi em 2014. Além de uma alta nas médias do mês, que estava muito seco, aquele ano bateu o recorde histórico de temperaturas da cidade, segundo os registros do Simepar, que começaram a valer a partir de 1998. Na época, a capital atingiu 35,5ºC.

Próximos dias

Nos próximos dias, a previsão é de que o abafamento continue, com apenas algumas chuvas esparsas chegando a bairros específicos de Curitiba. No entanto, de pouco em pouco uma acumulação maior de nuvens está se formando, devendo trazer precipitações mais intensas no fim de semana, como explica o Simepar.

A quarta-feira (30) ainda tem chances de superar as temperaturas desta terça, mas por enquanto tem máxima prevista para 33ºC. A situação só muda de fato no domingo (3), quando a chuva traz os termômetros para baixo: a previsão é de temperatura máxima de 24ºC.

Litoral

No Litoral do Paraná, o calor é ainda mais intenso do que na capital. Em Antonina, a máxima desta terça-feira chegou a 37 ºC. Já em Guaratuba, Matinhos e Pontal do Paraná, o calor chegou a 35ºC. Também não tem chovido na região, o que explica o abafamento. Por lá, a situação também deve mudar no domingo, com as precipitações intensas chegando, deixando as máximas em cerca de 28ºC.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]
  • Tudo sobre:

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.