i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
setor elétrico

Governo estuda ampliar concessões para compensar perdas das geradoras de energia

As empresas alegam prejuízos entre R$ 13 bilhões e R$ 20 bilhões com o alto custo de energia térmica

    • Estadão Conteúdo
    • 17/08/2015 17:13
    s empresas recorreram à Justiça para não pagar a totalidade da geração extra, e têm decisões liminares favoráveis contra o pagamento | Brunno Covello/Gazeta do Povo
    s empresas recorreram à Justiça para não pagar a totalidade da geração extra, e têm decisões liminares favoráveis contra o pagamento| Foto: Brunno Covello/Gazeta do Povo

    O governo estuda ampliar a concessão das empresas geradoras de energia como forma de compensar os prejuízos com a contratação de energia no mercado livre. Segundo o secretario executivo do Ministério de Minas e Energia (MME), Luiz Eduardo Barata, o tema será discutido nesta terça-feira (18), pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

    As empresas alegam prejuízos entre R$ 13 bilhões e R$ 20 bilhões com o alto custo de energia térmica para compensar a menor geração hídrica, medida tomada pelo governo para conter a queda no nível de reservatórios. As empresas recorreram à Justiça para não pagar a totalidade da geração extra, e têm decisões liminares favoráveis contra o pagamento, o que tem gerado inadimplência na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

    Nova onda de judicialização ameaça saúde do setor elétrico nacional

    Além da “guerra de liminares” de obras atrasadas, outros questionamentos como o recolhimento do ICMS da energia também foram parar na Justiça

    Leia a matéria completa

    “Inadimplência é uma questão pontual”, avalia Barata. Segundo ele, o governo tem discutido o tema e deve apresentar uma solução na reunião da Aneel desta terça-feira. “Está se buscando solução para 2015. A questão é como equacionar isso sem que sejam mais afetados, uma vez que há entendimento de que geração térmica não é previsível. Então, como eles pagaram, a ideia é compensar isso com o prazo de concessão”, afirmou.

    Pressa

    Barata não detalhou o período de prorrogação da concessão – decisão que deve ser publicada ainda amanhã, segundo o secretário executivo. A Aneel também vai propor medidas para compensar as usinas hidrelétricas. Ele negou que haja impacto sobre o consumidor.

    “As soluções que estão sendo construídas são para que não tenha impacto para o consumidor. Grande impacto se dá pela existência de medidas liminares. Queremos chegar a um consenso para as empresas retirarem as liminares, de modo que a gente retorne à normalidade”, afirmou o secretário, no Seminário sobre a Matriz Energética, promovido pela FGV Energia, no Rio.

    “Temos trabalhado nisso há algum tempo, com agências reguladoras e com a participação das associações de distribuidoras. Esse tema tem relevância, tem impacto sobre a comercialização de energia e a intenção é resolver o quanto antes”, ressaltou Barata.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

      Fim dos comentários.