i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Reclamação

Lula critica analistas econômicos

  • 27/05/2006 19:37

Brasília – No momento em que o mercado global apresenta recuperação, após os abalos da semana, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva reclamou ontem dos especuladores e analistas econômicos. Em rápida entrevista após participar de um encontro com idosos, ele assegurou que a economia brasileira está estável. "Não é possível que um cidadão fale uma coisa em off e isso vire um pandemônio nos mercados internacionais", disse Lula, referindo-se aos que recomendam cautela nos investimentos no Brasil.

Lula, no entanto, reconheceu que o país precisa ficar atento às variações do mercado. "O Brasil tem consolidado sua macroeconomia e não temos que ter preocupação. Obviamente que temos sempre de ficar atentos", disse o presidente. O presidente também reclamou das pressões para a mudança no câmbio. "As pessoas reclamam. Uns querem câmbio a R$ 2,30 e outras a R$ 2,50, como se pudesse, num poder de mágica, o presidente do Banco Central ficar dizendo que hoje o dólar vai ser assim, amanhã vai ser assim", disse. "Ele (o dólar) vai se ajustar num patamar que vai ser justo para todo o mundo", acrescentou. Lula também reafirmou que o país não tem de temer, por exemplo, a posição do presidente do banco central americano, o Fed.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.