Após perder a vaga em Pequim para a Argentina, a seleção brasileira se despediu de forma melancólica do Pré-Olímpico de Las Vegas. Pela segunda vez no torneio, a equipe do técnico Lula Ferreira perdeu para Porto Rico e não conseguiu nem o terceiro lugar. O resultado de 111 a 107 encerra uma campanha irregular e recheada de decepções. Resta agora lutar pela vaga na repescagem mundial, um mês antes dos Jogos de 2008.

Elias Ayuso foi o cestinha da partida, com 39 pontos e oito arremessos de três convertidos em 12 tentados. Carlos Arroyo colaborou com 30 pontos e 10 assistências. O Brasil teve Marcelinho como maior pontuador, com 21. Tiago Splitter fez 19, além de 13 rebotes. JP Batista adicionou com 17.

Murilo e Nenê desfalcam a equipe

Sem Nenê e Murilo, machucados, o Brasil entrou em quadra com uma formação diferente. Guilherme se juntou ao time titular com Splitter, Marcelinho, Leandrinho e Valtinho. A partida começou equilibrada, com muitos erros de ambos os lados. Porto Rico errou sete dos nove primeiros arremessos, e o Brasil acertou apenas 3 de 10.

Na volta de um pedido de tempo, quando JP Batista substituiu Tiago Splitter, e Valtinho deu lugar a Huertas, os porto-riquenhos se encontraram no jogo. Diante de um Brasil apático, o rival fez 11 pontos seguidos e fechou o primeiro quarto em 26 a 12.

No segundo período, a seleção brasileira melhorou e foi se encontrando aos poucos. A diferença logo caiu para quatro pontos. Na marca de 4:32m, Lula lançou Nezinho no lugar de Huertas. Contra o Uruguai, Nezinho se recusou a entrar em quadra.

O jogo manteve seu equilíbrio até o fim do segundo quarto, com Porto Rico vencendo por 48 a 43. Àquela altura, o cestinha da partida era Carlos Arroyo, com 15 pontos. Tiago Splitter comandava o Brasil com 13 pontos e seis rebotes.

Mais um apagão no terceiro quarto

No terceiro período, a defesa do Brasil voltou a falhar muito. Os porto-riquenhos fizeram nove pontos seguidos, capricharam na mira da linha de três e passearam em quadra.

O último quarto começou, e o cenário não mudou. Livre de marcação, Ayuso fazia uma cesta atrás da outra. Com um aproveitamento espetacular, o ala-armador fez a vantagem de Porto Rico chegar aos 20 pontos. Após uma falta antidesportiva de Ramos, a diferença caiu para 14 (81 a 69).

Nos últimos minutos, Lula tirou os titulares da quadra, inclusive Leandrinho, que aparentava ter dores na mão. Os reservas apertaram a defesa e tentaram emplacar uma reação. Conseguiram cortar a vantagem e, com duas bolas de três incríveis, de Marcelinho e Alex, a diferença caiu para dois a 16 segundos do fim. Mas já era tarde.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]