i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Dionísio filho

Rômulo fez a diferença

  • Pordionisio@gazetadopovo.com.br
  • 15/11/2009 21:27

A vitória do Coritiba contra o Atlético (MG) foi dramática na medida em que o time coxa-branca teve muitas oscilações de ordem técnica durante os noventa minutos de jogo.

Era visível o nervosismo dos atletas. As melhores jogadas do Galo mineiro foram, aliás, exatamente por conta desse desequilíbrio emocional do Verdão. Prova disso é que o zagueiro Pereira e o volante Jailton cometiam erros que não condizem com a capacidade técnica deles.

Na outra mão, o quarteto dos visitantes, formado por Jonílson, Correa, Márcio Araú­­jo e Ricardinho ditava o ritmo no meio de campo, com liberdade, em função do mau posicionamento do Coritiba que, mesmo assim, quando acertou uma tabela entre Marcelinho Paraíba e Rômulo, saiu do zero do placar.

Para preocupação da galera alviverde, embora o Coxa estivesse vencendo, os erros persistiam a tal ponto que só não se transformaram em gol devido ao ótimo desempenho do goleiro Vanderlei.

Longe de ficar apenas preocupada, a torcida coxa-branca, percebendo o momento de instabilidade do time, demonstrou seu apoio incondicional e, ao mesmo tempo, torceu fervorosamente para o fim dos quarenta e cinco minutos iniciais.

No intervalo, em vez de trocar jogadores, inteligentemente, Ney Franco mudou o esquema tático, adotando o 3-5-2, com Jailton ficando na sobra, para melhorar a produção da equipe.

Assim, quando tudo parecia se encaixar na proporção das necessidades do Coritiba, pois Marcelinho Paraíba havia perdido uma oportunidade de ampliar o placar, ao contrário do que se esperava, o Atlético Mineiro empatou.

São fatos de uma partida qualquer de futebol, mas não o seriam se, no fundo, um empate não fosse um resultado desgraçadamente prejudicial para o Verdão nessa altura do campeonato. Mais ciente disso do que qualquer outra pessoa, Ney Franco trocou Rodrigo Heffener, Jailton e Pedro Ken, entrando Marcos Aurélio, Renatinho e Makelele os quais não só deram mais criatividade como também fortaleceram o setor defensivo da equipe.

Além disso, a saída do Ricardinho (um equívoco do técnico Celso Roth) facilitou a vida do Coritiba, pois era ele quem organizava as jogadas que levavam perigo à defesa alviverde.

Finalmente, a estrela de Marcelinho Paraíba brilhou novamente, alegrando a torcida coxa, ao cobrar e converter uma penalidade máxima, cometida pela segunda vez (a primeira ignorada pelo árbitro Paulo César Oliveira) por Benitez em Rômulo, que voltou ao time em grande estilo. É isso.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.