O presidente do Coritiba, Rogério Bacellar, foi um dos organizadores do encontro de clubes em Curitiba. | Pedro Serápio/Gazeta do Povo
O presidente do Coritiba, Rogério Bacellar, foi um dos organizadores do encontro de clubes em Curitiba.| Foto: Pedro Serápio/Gazeta do Povo

Reunidos na noite desta terça-feira (29) no hotel Bourbon, cerca de 30 clubes da primeira, da segunda e da terceira divisão do Paranaense deram o pontapé inicial para a criação da Liga Paranaense. A primeira liga estadual do país pode inclusive organizar os campeonatos se encontrar uma brecha jurídica que permita aos clubes não serem desfiliados pela Federação Paranaense de Futebol (FPF).

O problema é que o estatuto da FPF exige que os associados disputem uma competição profissional e outra de base organizada por ela. Ou seja, se a liga organizar um novo Paranaense a partir de 2017, os clubes terão de disputar dois estaduais ou podem ser desfiliados, o que impediria a participação no Brasileiro ou na Copa do Brasil.

Na reunião que foi comandada pelo presidente do Atlético , Luiz Sallim Emed; pelo presidente do Coritiba , Rogério Bacellar; e por Ricardo Gomyde, ex-candidato a presidente da FPF, os clubes autorizaram que seja criada uma comissão para estudar juridicamente a viabilização da liga e que convoque uma reunião futura para a efetiva fundação da nova associação.

CORITIBA: relembre em fotos como foi o Coxa na primeira fase do Paranaense

“Os clubes disseram que se for bom financeiramente não há nenhum problema. O nosso problema específico é a disparidade de dinheiro entre os clubes”, relatou Arif Osman, presidente do Foz.

“Nós vamos discutir internamente, mas está tudo muito no começo ainda”, resumiu o presidente do J. Malucelli, Juarez Malucelli. Mesmo que não organize o campeonato, a liga pode ser importante na busca de novos patrocínios.

ATLÉTICO: relembre em fotos como foi o Furacão na primeira fase do Paranaense

Já o presidente do Coritiba, Rogério Bacellar, preferiu focar mais na união dos times. “Não digo que é um primeiro passo para uma liga, mas um primeiro passo para fortalecer os clubes”, afirmou na saída do Bourbon.

“O problema de todos os clubes é calendário e dinheiro. Todos querem melhorar isso”, afirmou Bacellar, admitindo que esse é um processo ainda em construção. “Todo mundo pensou que chegaríamos aqui com um prato pronto e não foi assim. A ideia é que se discuta novos formatos e projetos”, acrescentou.

A aprovação das contas da Federação, que será votada nessa quarta-feira (30), não foi discutida.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]