Atlético e Coritiba: sem tranquilidade até o fim do Brasileiro | Jonathan Campos / Gazeta do Povo
Atlético e Coritiba: sem tranquilidade até o fim do Brasileiro| Foto: Jonathan Campos / Gazeta do Povo

Calendário:

A sequência do Coxa até o fim do campeonato:- Criciúma (c); Goiás (f); Figueirense (f); Botafogo (c); Grêmio (c); Corinthians (f); Fluminense (c); Flamengo (f); Vitória (f); Palmeiras (c); Atlético-MG (f); Bahia (c)

A sequência do Atlético até o fim do campeonato:- São Paulo (f); Figueirense (c); Flamengo (c); Criciúma (f); Fluminense (f); Atlético-MG (c); Botafogo (f); Sport (c); Santos (c); Bahia (f); Goiás (c); Palmeiras (f)

Atlético e Coritiba começam nesta quarta-feira uma exaustiva corrida até o fim do Brasileiro. Se até a 26.ª rodada passaram-se 168 dias, a última perna do campeonato terá uma tabela bem mais apertada. Os 12 jogos restantes serão feitos em exatos dois meses. Tempo precioso para a dupla cumprir o objetivo de escapar do rebaixamento.

Depois da vitória no clássico de sábado, por 1 a 0, o Coxa ganhou fôlego extra para lutar contra a degola. Apesar de seguir na última posição, com 26 pontos, o time de Marquinhos Santos tem importantes confrontos diretos contra ‘concorrentes’ ao descenso. O primeiro é em dois dias, contra o Criciúma, no Couto Pereira. Dos atuais candidatos à Série B, a equipe só não enfrenta mais o Bahia.

Para o Furacão, o revés diante do rival ‘oficializou’ que a meta do clube na temporada será evitar o segundo rebaixamento em quatro anos. No momento, o risco é baixo — 17% segundo o site Infobola —, mas os resultados recentes não são nada animadores.

Com dois triunfos conquistados nos últimos 12 jogos, o time de Claudinei Oliveira vê a ZR cada vez mais perto no retrovisor. Apesar de estar na 12.ª posição, o Rubro-Negro tem apenas quatro pontos de vantagem para a área do descenso, menor distância desde a 8.ª rodada, quando empatou com o São Paulo, justamente o próximo adversário, nesta quarta, no Morumbi.

O treinador, no entanto, acredita que o time está em evolução. A semana que antecedeu o Atletiba foi a única exclusiva para treinos desde que assumiu. "Acho que estamos encontrando o caminho e fazendo mais jogadas trabalhadas. Precisamos de uma sequência de vitórias para fazermos uma pontuação e ficarmos tranquilos", analisa Claudinei.

Com risco de 64% de cair, o Coxa não vai mudar o estilo de jogo para as 12 rodadas finais. Desde que Marquinhos Santos assumiu (31/8), o time venceu 40,7% dos 27 pontos disputados e marcou 11 gols. "O Coritiba está nessa pressão desde a quarta rodada. E eu fui contratado para tirar a instituição dessa situação. Tenho minhas responsabilidades, mas também tenho minhas características e convicções e vou seguir com essa proposta ofensiva", garante o técnico, que promete manter o sistema com três atacantes diante do Tigre.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]