Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Davi Alcolumbre decidiu mostrar quem é que manda: ele próprio. O senador, em rota de colisão com o presidente, insiste em não agendar a sabatina de André Mendonça, indicado por Jair Bolsonaro à vaga de Celso de Mello no STF. A questão é: por quê? E mais: para quê? Noventa dias se passaram desde a indicação. E essa novela, ao que parece, está longe de terminar.

Enquanto isso, num parquinho bem perto dali, Lula, Dilma, Ciro e até Jean Wylllys (lembram dele?) se digladiam. Nesse teatrinho canhoto, Ciro acusou Lula de ter conspirado pelo impeachment de Dilma, que saiu em defesa do ex-chefe. Jean Wyllys, comprando as dores da “gerentona”, perguntou ao coroné se a declaração não era… falta de mulher. Mas o que será que está por trás dessa briga toda?

Para tentar responder a essa e outras perguntas que porventura ocorrerem durante o programa, Paulo Polzonoff Jr conversa com os colunistas da Gazeta do Povo Bruna Frascolla, Guilherme Fiuza e Rodrigo Constantino no podcast O Papo É #47.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]