Mesa de operação da TV Paraná Turismo
Nova programação da TV Paraná Turismo estreia às 20 horas desta terça-feira (14).| Foto: José Fernando Ogura/ANPr

A TV Paraná Educativa tem uma nova programação local. Com isso, deixa de apenas retransmitir o sinal da TV Cultura de São Paulo - e o primeiro passo dessa nova aposta ocorreu nesta última terça-feira (14). Na reformulação do canal, o turismo passa a ser assunto central como ferramenta para o desenvolvimento socioeconômico do Paraná, segundo o governo estadual.

Até o nome muda: a emissora passa a se chamar TV Paraná Turismo. Inicialmente serão apenas sete horas semanais de programação local - uma hora por dia -, mas a previsão é que até o fim do ano esse número cresça para quatro horas diárias de conteúdo produzido no estado. A nova grade estreou às 20 horas desta terça, com o programa AgroTur, dedicado ao turismo rural. Por enquanto, não foram anunciadas mudanças na programação das rádios Paraná Educativa AM e FM.

Logo da nova TV Paraná Turismo
Logo da nova TV Paraná Turismo

“É o nosso compromisso com o setor do turismo, que o Paraná sempre trabalhou de forma muito tímida. O país todo terá a oportunidade de nos conhecer”, disse o governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) à agência estadual de notícias no lançamento da nova grade, na noite de segunda-feira (13).

Outros cinco programas já anunciados se revezarão na grade diariamente: Turismo em Pauta, Descubra Paraná, Bom de Pesca, Identidade PR e As Aventuras de Richard no Paraná, que será apresentado pelo biólogo Richard Rasmussen, que já participou de programas no SBT, Band, Record e RedeTV e mantém um canal no YouTube.

A nova programação é vista com desconfiança pelo jornalista Álvaro Nunes Larangeira, professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Linguagens da Universidade Tuiuti do Paraná (UTP). Para ele, a função de uma tevê educativa, de divulgação de programas elucidativos, com uma perspectiva social, é menosprezada, uma vez que a nova proposta se aproxima do conteúdo produzido por empresas de comunicação privadas.

“Durante a ditadura militar, o próprio governo estabeleceu que a televisão educativa se destinaria a divulgação de programas educacionais, sem caráter comercial, sendo vetada a transmissão de qualquer propaganda, direta ou indiretamente”, diz Larangeira. “Até um governo arbitrário como o do período militar tinha noção da diferença entre uma tevê pública e uma tevê comercial”, diz.

Já a professora do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo da Universidade de São Paulo (USP), Clarissa Maria Rosa Gagliardi, considera que é função do poder público a promoção do estado, em atendimento a demandas que não fazem parte do interesse da iniciativa privada, o que seria o caso da divulgação turística.

“Mas quando vai oferecer ao turista informações sobre hospedagem, precisa citar todos os hotéis de uma região, não pode privilegiar um ou outro”, destaca. Ela ressalta que não fala especificamente do caso da TV Paraná Turismo, uma vez que não tem conhecimento de questões detalhadas sobre a legislação referente à tevê.

O secretário de estado de Comunicação Social e Cultura, Hudson José, pondera que o canal não transmitirá apenas programas sobre turismo. "Vamos manter o processo educativo dentro da TV, vamos manter uma cobertura jornalística. O que estamos mudando é uma grade em formato e modelo. Não estamos abandonando 100% um conceito", avalia.

Hudson José afirma que a mudança se deu para "divulgar melhor o Paraná". "A vocação do Paraná deve ser divulgada tanto para o estado quanto para outras regiões que nós alcançamos via satélite. Nós chegamos a 17 milhões de antenas na América do Sul. Entendemos que podemos [com isso] não só atrair investimentos, que é um dos focos do governo, mas atrair pessoas que venham ao estado para turismo", diz.

O secretário ressalta números do Ministério do Turismo, que apontam que, dos 399 municípios paranaenses, 283 integram o mapa do turismo. Deles, 44 têm fluxo de turismo internacional e 239 têm fluxo de turismo doméstico. "Ao estimularmos essa movimentação, podemos gerar mais empregos", avalia.

O comando da TV é de Ruy Façanario, diretor-presidente da Rádio e Televisão Educativa do Paraná (RTVE). Nomeado em fevereiro para o cargo, ele fez carreira como apresentador de um programa de televisão voltado ao turismo e à pesca esportiva que chegou a ser veiculado nacionalmente no SBT e na RedeTV!.

Segundo o atual regulamento da RTVE, instituído pelo Decreto 3346/2004, é objetivo da autarquia “produzir e distribuir material audiovisual, bem como difundir programas educativos, culturais, esportivos, sociais, informativos e artísticos, visando à integração informativa, cultural, educativa, econômica, social e administrativa do Estado”.

Na divulgação da nova programação, o governo estadual informou que continuará apoiando e transmitindo eventos importantes para o desenvolvimento do estado, citando como exemplos a bienal de Curitiba, o campeonato paranaense de futsal e uma competição que une esporte e aventura previsto para o segundo semestre.

Gestões anteriores

Em gestões anteriores do governo do estado, a RTVE foi alvo de controvérsias. Em 2004, no governo de Roberto Requião (MDB) o estado procedeu à contratação de mais de uma centena de funcionários comissionados para atuação nas rádios e na tevê, medida que foi alvo de ação popular, de autoria do então deputado estadual Fabio Camargo.

Em relação ao conteúdo, a programação chegou a ser alvo de perícias e Requião foi multado pela Justiça por se utilizar da tevê para fazer promoção pessoal e ataques a instituições, adversários políticos e órgãos de imprensa. Durante seu mandato, a RTVE fazia a transmissão ao vivo das reuniões do secretariado, realizadas todas as manhãs de terça-feira no Museu Oscar Niemeyer.

Em 2011, poucas semanas depois de assumir o governo do estado, Beto Richa (PSDB) mudou a identidade visual e o nome da Educativa, que passou a atender por É-Paraná. No período também houve demissão de funcionários contratados via convênio com a Fundação da Universidade Federal do Paraná (Funpar), o que reacendeu cobranças para a realização de um concurso público, que acabou ocorrendo em 2017 após uma suspensão do certame por indícios de irregularidades.

Ao assumir o governo do estado, Cida Borghetti (PP) mudou novamente o nome da tevê do estado, que voltou a se chamar TV Paraná Educativa. Com a posse de Ratinho Junior, a produção de programas locais foi interrompida para uma reformulação na grade, deixando os espectadores do canal apenas com o conteúdo da TV Cultura de São Paulo.

16 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]