Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

A política externa do Brasil nos últimos dois anos foi focada principalmente na amizade entre os presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump.

Então, como vão ficar as relações exteriores do país com a saída de Trump da Casa Branca e a chegada de Joe Biden? Entenda o que muda nas estratégias do Brasil.

Como fica a política externa brasileira depois da pose de Joe Biden

Fontes ouvidas pela Gazeta do Povo afirmam que conversas informais entre as equipes do Itamaraty e do futuro governo Biden já começaram, mas que não deve haver uma grande mudança na nossa política externa.

A primeira grande mudança com a posse de Biden, no próximo dia 20 de janeiro, deve ser justamente na relação entre os presidentes.

Isso porque o governo entende que, sem a relação de amizade que existia entre Bolsonaro e Trump, a diplomacia brasileira vai ter que se empenhar em uma relação mais pragmática para os interesses do Brasil.

Isso significa que o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, terá que atuar pessoalmente para construir essa boa relação com a equipe de Biden, assim como o embaixador do Brasil nos Estados Unidos, Nestor Forster.

nas prioridades da política externa, pouca coisa deve mudar. O Brasil vai seguir focado em entrar na OCDE e em aprovar o acordo entre Mercosul e União Europeia.

Além disso, a agenda conservadora e de Direitos Humanos deve se manter. Outro ponto é que o Itamaraty já deixou claro que vai se opor às pressões sobre a agenda ambiental do Brasil, algo que Joe Biden disse que faria durante sua campanha.

Conteúdo editado por:Jenifer Ribeiro dos Santos
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]