• Carregando...
Ministro Silvio Almeida terá que comparecer em audiência na comissão para prestar esclarecimentos.
Ministro Silvio Almeida terá que comparecer em audiência na comissão para prestar esclarecimentos.| Foto: Bruno Spada/Câmara dos Deputados

A Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara dos Deputados aprovou nesta segunda (30) cinco requerimentos de convocação ao ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania, Silvio Almeida, para esclarecer audiência realizada no ministério com a “Dama do tráfico amazonense", mulher do líder do Comando Vermelho. Ainda não há data para audiência com o ministro.

Os pedidos foram apresentados pelos deputados Kim Kataguiri (União-SP), Eduardo Bolsonaro (PL-SP), Carlos Jordy (PL-RJ), Junio Amaral (PL-MG) e pela bancada do Novo, composta por Adriana Ventura (NOVO-SP), Gilson Marques (NOVO-SC), Marcel van Hattem (NOVO-RS).

"A presença da Sra. Luciane Barbosa Farias em reuniões no Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, suscita questionamentos profundos sobre a relação entre o governo e o crime organizado", diz Kataguiri.

O ministro também deve ser questionado sobre o uso de recursos públicos para custear uma das viagens de Luciane Barbosa para Brasília. "É crucial que o ministro da pasta compareça a esta comissão para explicar os procedimentos e os gastos de seus ministérios. O ministro é responsável direto pela gestão da pasta e deve explicações e desculpas à sociedade por ter financiado agentes do crime", explica a bancada do Novo no requerimento.

Luciane é esposa de um líder do Comando Vermelho, como relatou o Estadão. Ela participou de um evento promovido pelo Comitê Nacional de Prevenção e Combate à Tortura (CNPCT), do Ministério dos Direitos Humanos (MDH), que arcou com as despesas, nos dias 6 e 7 de novembro. As despesas de Luciene foram pagas pela Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos e estão registradas no Painel de Viagens, mantido pelo Ministério da Economia, informou a Folha de S. Paulo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]