Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Está difícil saber quem surtou mais: a esquerda brasileira com o sucesso da motociata com Bolsonaro, ou a esquerda americana com o anúncio da oferta de Elon Musk para comprar todo o Twitter. Em ambos os casos, o que se viu foi uma histeria reveladora, um desespero infantil, um pânico de quem vive numa bolha confortável e não suporta enxergar a realidade do lado de fora.

No caso brasileiro, o presidente arrastou, uma vez mais, uma multidão pelas ruas. Foi o suficiente para aqueles que não conseguem colocar nem um mísero bloquinho nas ruas entrarem em desespero. Infração de trânsito, campanha antecipada, desrespeito no feriado, causa de engarrafamento, insensibilidade com preço do combustível e por aí vai. Um chororô patético de quem adoraria uma "democracia" sem povo. Esse tweet ilustra a reação geral na patota:

Fato: a oposição SENTIU e muito o sucesso da motociata com Bolsonaro. Estão desolados.... E esse meu simples comentário, diga-se de passagem, teve quase cinquenta mil curtidas! Isso só aumenta o desespero da turma, uma vez que nem com apoio de celebridades de péssimo nível eles conseguem esse tipo de engajamento.

Eis o que está acontecendo: os nossos militantes tucanopetistas perderam a hegemonia da velha imprensa, e não estão sabendo lidar com isso. Eles estão desesperados! Convocam o restante da imprensa tucana a assumir o lado do "democrata moderado" que idolatra Fidel Castro, Daniel Ortega e Maduro, o "honesto de centro" que liderou o mensalão e o petrolão. Chega a ser até divertido!

E quando um deles admite que a tal "terceira via" não existe, fica ainda mais engraçado!

Agora, nos diz a Folha, o Podemos já pensa até em flertar com Bolsonaro, ou talvez lançar - prendam o riso - o general Santos Cruz para presidente!

Para quem vive fora da bolha, parece impossível não cair na gargalhada! É por isso que o clubinho não entende mais nada, e fica revoltado com o clima de deboche nas redes sociais. É por isso que arrancam os cabelos, com aquela aura de seriedade que usam para mascarar a pura militância esquerdista, quando nosso presidente ridiculariza o esforço da mídia em demoniza-lo:

O que está acontecendo?! A bolha estourou e a direita não para de crescer. Seria esse um dos motivos pelos quais os tucanopetistas da velha imprensa querem censurar as redes sociais?!

Agora vamos para o caso de Elon Musk. O bilionário da SpaceX e da Tesla fez uma oferta de mais de $40 bilhões pelo Twitter, um prêmio expressivo em relação ao valor atual da empresa. Os militantes surtaram! Houve comparação com Hitler, promessas de debanda geral da "Cracolândia" das redes sociais, esperneio e até gente prevendo a Terceira Guerra Mundial e a destruição do planeta! E não foram pessoas "insignificantes", mas sim jornalistas "renomados", gente com perfil verificado e muito orgulhosa disso! (mais risos)

Jeff Bezos, o magnata da Amazon, pode comprar o Washington Post que está tudo bem, Mark Zuckerberg pode controlar Facebook, Instagram e WhatsApp, mas o empreendedor Elon Musk não pode ser dono de uma rede social. Isso seria terrível para o mundo! Onde já se viu alguém defender liberdade ampla e quase irrestrita para todos se expressarem!

O que a reação insana da patota do selo azul provou foi aquilo que todos já sabiam: o Twitter de Jack Dorsey tem claro viés de esquerda, persegue conservadores, e o problema desses jornalistas é justamente perder esse controle, essa censura em curso por meio de "algoritmos" sem transparência. Muitos, em pânico, chegam a confessar o autoritarismo, a arrogância, a empáfia, a petulância dos "ungidos" que querem administrar o que pode ou não ser debatido.

Musk pretende transformar o Twitter no que ele deveria ser: uma plataforma neutra, com poucos casos de banimento, e todos eles bem transparentes para os usuários. É tudo que mais apavora o clubinho! Esses acham lindo banir Trump, mas manter Maduro. Eles se voltam até para o príncipe saudita em busca de ajuda contra a aquisição hostil do terrível magnata libertário!

O board tenta bloquear a aquisição, cria "Poison Pills", ignora os interesses dos acionistas, os verdadeiros donos da empresa. Vale notar que Musk tem muito mais ação do que Dorsey. Musk disse, em entrevista recente no TED talk, que possui um plano B, mas não vai revelar.

Vai ser interessante acompanhar essa batalha entre globalistas autoritários e um empreendedor em defesa da liberdade. Mas só a oferta já foi suficiente para expor ao mundo todo a essência totalitária desses "liberais" e "progressistas": eles querem "democracia" e "liberdade de expressão", desde que alguém exatamente como eles possam controlar quem pode se manifestar e o que pode ser dito. Eles precisam, afinal, "empurrar a história", e essa coisa de povo no meio do caminho é muito chata...

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]