i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Oeste do Paraná

Acusado pela morte de policial federal negocia pelos presos em rebelião

Alessandro Meneghel, ex-presidente da Sociedade Rural do Oeste (SRO), também foi acusado de ordenar um ataque contra sem-terra que haviam ocupado uma fazenda

  • PorDiego Antonelli, com informações de Luiz Carlos da Cruz, correspondente em Cascavel
  • 25/08/2014 08:13

Um dos presos rebelados em Cascavel que lidera a negociação com a equipe policial e da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Seju) é o ruralista Alessandro Meneghel. Foi ele que encabeçou todas as conversas desde domingo (24), quando começou a rebelião na Penitenciária Estadual da cidade (PEC). Ele está preso desde 2012 acusado de matar um policial federal. Ele teria sido escolhido pelos detentos pela facilidade de comunicação.

As negociações para o fim do motim foram retomadas na manhã desta segunda-feira (25), após terem sido suspensas no final do domingo.

Meneghel foi transferido para a Penitenciária Estadual de Cascavel (PEC) em março deste ano. Ele estava na Penitenciária Industrial da cidade (PIC) e havia suspeitas de que estaria planejando uma rebelião naquela unidade.

Meneghel ficou conhecido nacionalmente quando presidia a Sociedade Rural do Oeste (SRO) em 2007 e foi acusado de ordenar um ataque contra sem-terra que haviam ocupado uma fazenda que pertencia à multinacional Syngenta Seeds, em Santa Tereza do Oeste. No confronto, morreram o líder sem-terra Valmir Mota de Oliveira, o Keno, e o segurança Fábio Ferreira.

Em 2009, Meneghel foi preso e condenado por porte ilegal de arma na cidade de Toledo. No ano seguinte, ele tentou uma vaga na Assembleia Legislativa do Paraná pelo Democratas (DEM), mas teve a candidatura cassada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) devido seus antecedentes criminais.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.