i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
oeste do paraná

Advogados se unem para reformar telhado de cadeia pública em Cascavel

Um grupo de 12 advogados criminalistas comprou 50 telhas para substituir outras danificadas no presídio da 15ª SDP

  • PorLuiz Carlos da Cruz, correspondente
  • cascavel
  • 21/07/2015 16:08

As chuvas dos últimos dias deixaram presos da cadeia pública de Cascavel, no Oeste do Paraná, revoltados devido a grande quantidade de goteiras e umidade nas celas. Na semana passada, eles chegaram a fazer um protesto por melhorias que começaram acontecer somente nesta terça-feira (21), mas a reforma do telhado não veio por meio do governo do estado. Quem promoveu as melhorias foi um grupo de advogados criminalistas.

Preocupados com a péssima situação dos detentos e a dificuldade de trabalhar no local, 12 advogados se uniram e compraram 50 telhas que substituirão aquelas que estão quebradas. Eles investiram cerca de R$ 2 mil na aquisição do material. Três presos da PIC (Penitenciária Industrial de Cascavel) fazem os reparos necessários para diminuir o problema do presídio que fica junto com a 15ª SDP (Subdivisão Policial), bem no centro da cidade. Atualmente quase 500 presos estão recolhidos nas celas que têm capacidade para abrigar apenas 136.

O advogado Luciano Katarinhuk diz que devido a inércia do governo do estado e a situação precária dos presos devido a umidade eles decidiram se cotizar e promover a reforma. “O estado é inerte, mas que isso não se torne rotina. Isso não é nossa função, nós conversamos entre nós e decidimos fazer o trabalho”, afirma.

O problema da umidade preocupa autoridades sanitárias e a direção da carceragem. Na segunda-feira (20), seis presos foram internados com problemas respiratórios. Houve uma suspeita de surto de tuberculose, mas que já foi descartada. Na manhã desta terça-feira (21), outros 24 presos foram atendidos por uma equipe médica do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Todos apresentavam sintomas de gripe.

Procurada, a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária (Sesp) informou que não tinha conhecimento da reforma e que se trata de uma situação pontual. A secretaria disse ainda que vai se inteirar das necessidades da 15.ª SDP.

Sobre os problemas de saúde com os presos, a Sesp afirmou que 40 precisaram de atendimento médico por estarem com virose. Eles foram medicados e estão isolados dos demais detentos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.