Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Aplicativo de denúncias de violência doméstica já está disponível
| Foto:

Donos de celulares com sistema operacional Android já podem baixar gratuitamente o aplicativo Direitos Humanos BR, através da loja Google Play. Em breve o app também estará disponível usuários do sistema iOS. O anúncio foi feito na noite desta quinta-feira (9) pela ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos Damares Alves numa live no Instagram.

O aplicativo é uma alternativa aos serviços telefônicos Ligue 180, específico para denúncias de violência doméstica e Disque 100, que recebe denúncias de violação aos direitos humanos em geral. Com mais este canal o MMFDH acredita ser mais fácil para as vítimas denunciarem agressores, estando sob confinamento na mesma casa.

"A vítima pode se trancar no banheiro e mandar áudios, fotos e até vídeos pelo aplicativo", disse Damares Alves durante a transmissão ao vivo.

Desde que começou a quarentena, o Brasil, assim como outros países que também passam por período de confinamento, aumentaram os casos de violência doméstica.

"Todos nós estamos trabalhando incansavelmente e buscando soluções diante dos novos desafios. Com essas medidas, queremos ampliar a rede de acolhimento e proteção dos direitos humanos para garantir a efetividade das políticas públicas", disse a ministra.

O Ministério da Mulher, da Família e Direitos Humanos (MMFDH) informa que denúncias podem ser feitas também por vizinhos que ouçam gritos, choro frequente e pedidos de socorro vindos de casas ou apartamentos. Tanto no aplicativo quanto no site é possível enviar fotos, vídeos e documentos que comprovem a situação de violência”, explica o ouvidor nacional de direitos humanos, Fernando Pereira.

Como usar o aplicativo

Depois de baixar o aplicativo Direitos Humanos BR basta preencher um breve cadastro e seguir o passo a passo para registrar denúncias de violência contra mulheres, crianças ou adolescentes, pessoas idosas, pessoas com deficiência e outros grupos sociais, como índios, negros ou ciganos, por exemplo. Há também um passo a passo para anexar arquivos, como fotos e vídeos.

O MDH informa que segue trabalhando no desenvolvimento de novas funcionalidades para permitir que também pessoas com deficiência e analfabetos possam registrar denúncias pelo aplicativo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]