Programas podem transformar as ruas em pistas de ciclismo, permitindo acompanhar a performance de quem pedala. | Henry Milleo/Gazeta do Povo
Programas podem transformar as ruas em pistas de ciclismo, permitindo acompanhar a performance de quem pedala.| Foto: Henry Milleo/Gazeta do Povo

Acompanhar seu ritmo, compartilhar fotos e dados com amigos e identificar bares, livrarias e restaurantes “amigos da bicicleta”. São algumas das funções de aplicativos cada vez mais utilizados por ciclistas de todo o mundo, inclusive em Curitiba.

AVALIAÇÃO COMPARTILHADA

Na hora da pausa, o aplicativo BikeIT mostra quais os melhores lugares para o ciclista e sua bike. O site indica estabelecimentos que possuem boa estrutura e são gentis com ciclistas através de um sistema de votação e comentários de usuários. Locais mal avaliados ficam marcados com um sinal amarelo e os mais queridos ficam verdes. Em Curitiba, até a última segunda-feira (14), havia 30 locais avaliados.

Alguns deles apostam na criação de um ambiente virtual para que haja interação e comparação do desempenho dos dados colhidos durante o percurso. Este é o caso do Strava (iOS e Android), Endomondo (Android, iOS e Windows Phone) e Sport-Tracker (Android, iOS e Windows Phone).

Equipes de ciclistas costumam fazer rankings de seus integrantes nesses apps, listando quem percorreu as maiores distâncias e em qual tempo. Já na página pessoal de cada usuário do app (iOS e Android) há um gráfico para acompanhar o desempenho mensal e também exibir seus troféus em eventos, como os realizados pelos competidores em Morretes ou na descida da Rua Carlota Straube de Araújo, no Boa Vista.

Douglas Blanski usa o aplicativo para pedalar em Curitiba.Henry Milleo / Gazeta do Povo

Marcelo Miziara, 35, tem perfil no Strava. “Eu utilizo mais para sociabilização. Mas para quem gosta de competição, esses aplicativos influenciam muito porque eles mostram o tempo de outros usuários no trecho em que você está pedalando”, conta o analista de redes.

Riscos

Além de permitir o compartilhamento de fotos e novas rotas, esses apps também podem transformar as vias das cidades em verdadeiras pistas de ciclismo. Por um lado, isso melhora o desempenho e auxilia na qualidade de vida de quem pedala.

Conheça os aplicativos e suas funções

Leia a matéria completa

Mas há também riscos, segundo ciclistas experientes. “Vemos muitos ciclistas viciados em buscar metas dos outros, se arriscando para diminuir tempos de percurso. Recomendo que todos tenham cautela no uso e respeitem os limites para sua própria segurança”, alerta o organizador do Bike Night da Praça Garibaldi, o advogado Sérgio Riekes, 55.

Todos esses aplicativos medem velocidade máxima, mínima e média, além da inclinação, duração e distância do percurso. O norte-americano Strava é o mais popular deles no Brasil e também funciona como uma rede social de ciclistas. Criado em São Francisco, na Califórnia, ele está presente em mais de 200 países.

Outros Apps

Alguns aplicativos também criam soluções para problemas mecânicos de bicicletas. Esse é o caso do Bike Repair (iOS e Android), por exemplo, que tem 58 tutoriais de reparo, com fotos detalhadas que auxiliam a resolver problemas graves de mecânica. Já o Bike Doctor (iOS) tem a facilidade de ter um banco de dados com soluções mecânicas, que pode ser acessados mesmo se o ciclista estiver sem acesso à rede de dados.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]