i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Entrelinhas

Estátua da Havan irrita moradores

  • PorMarcela Campos - entrelinhas@gazetadopovo.com.br
  • 05/08/2013 21:08
 | Divulgação Havan
| Foto: Divulgação Havan

Por essa a loja de departamentos Havan não esperava! Uma réplica da Estátua da Liberdade erguida pela empresa na frente de sua recém-inaugurada unidade em Bauru (foto), no interior de São Paulo, virou alvo de um abaixo-assinado. Moradores da cidade pedem que o monumento seja retirado. Segundo matéria publicada pela Folha de S. Paulo, os críticos entendem que a réplica, de 35 metros de altura, pode ser confundida com um novo símbolo do município, já que é avistada da Rodovia Marechal Rondon, na entrada de Bauru. O abaixo-assinado já contaria com mil assinaturas. A Havan usa a estátua como logomarca em lojas de pelo menos outros cinco municípios, incluindo Curitiba.

Gosto duvidoso

Essa não é a primeira vez que um monumento curioso causa confusão em Bauru. Em 2008, quatro universitários foram presos após furtarem o Bauruzinho, um sanduíche de fibra de vidro gigante instalado no maior parque da cidade e que havia desagradado a moradores. O Paraná também tem seus exemplos de obras esdrúxulas. É o caso do "Cocozão", criado em 2004, em Ponta Grossa, com uma haste de aço de oito metros de altura e uma pedra em resina na ponta. O monumento acabou virando motivo de chacota, sendo demolido em 2009.

Melhorias no transporte público (foto 2)

Depois de pegar linhas erradas de ônibus e se confundir com as paradas, um grupo de intercambistas que mora em Curitiba criou um sistema próprio de informações e espalhou cartazes com os itinerários em estações-tubo e nos veículos do transporte coletivo. Uma matéria sobre a iniciativa (projeto "Você está aqui") foi publicada na Gazeta do Povo em junho. Agora esses mesmos estudantes vão promover um debate sobre a mobilidade urbana na cidade. O encontro será hoje, no Centro de Línguas e Interculturalidade (Celin) da UFPR, na Rua XV de Novembro, das 19 às 21 horas. A entrada é gratuita, mas as vagas são limitadas e é preciso fazer inscrição no voceestaaquicuritiba@gmail.com

Beatificação de Zilda Arns

A Igreja Católica vai abrir em 2015 o processo de beatificação da médica pediatra e sanitarista Zilda Arns, fundadora da Pastoral da Criança e da Pastoral da Pessoa Idosa. O anúncio foi feito pelo bispo dom Aldo Di Cillo Pagotto, presidente do Conselho Diretor da Pastoral da Criança. Segundo ele, o pleito pela beatificação e posterior santificação não pode ser apresentado antes dos primeiros cinco anos da morte de uma pessoa.

Cena triste

Na tarde de ontem, os cinco bancos preferenciais da linha de ônibus São Bernardo estavam ocupados por senhoras com mais de 60 anos. Numa parada, uma idosa de cabelos completamente brancos e com dificuldades para andar entrou no veículo. Duas moças que conversavam animadamente nos bancos da frente fingiram não perceber – elas devem ter achado que, por não estarem nos espaços preferenciais, não precisavam deixar o lugar. Vendo a cena, uma idosa cedeu o banco para a mais velha. As velhinhas comentaram em tom de lamento: "A juventude um dia passa, né?"

24 quadros por segundo

"Hoje, ser anônimo é pior do que ser pobre."

A frase foi dita pela personagem Rachel Berry, no seriado Glee.

Colaborou: Kátia Brembatti

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.