i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
No Abranches

Dona de cachorro que matou homem é indiciada por homicídio culposo

Homem era irmão da dona do cachorro. Ele teria provocado o animal, que se enfureceu e mordeu a vítima

  • PorRodrigo Batista
  • 25/08/2014 15:20

A proprietária do cachorro da raça pitbull que atacou um homem no sábado (23) no bairro Abranches, em Curitiba, foi indiciada por homicídio culposo. Ela prestou depoimento no 4° Distrito Policial de Curitiba (4º DP) e foi liberada. A vítima era irmão da proprietária do cão e estaria embriagado no momento em que ocorreu o ataque.

Inicialmente, a Polícia Militar havia informado à reportagem que a vítima era um vizinho da família dona do cachorro, mas a informação foi corrigida pela Polícia Civil nesta segunda-feira (25).

Segundo o delegado Jairo Estorilio, titular do 4° DP, o homem, de 57 anos, entrou na residência para encontrar a família e teria mexido com o cachorro, que se irritou e avançou contra ele. "Ele teria 'manuseado' o cão, que agiu de forma ríspida e o atacou. Na casa estava a mulher e dona do cachorro e o filho dela, que também presenciou o ataque", explica o delegado. De acordo com o que a dona do cão disse ao delegado, o irmão dela teria problemas com alcoolismo e fazia tratamento para se curar da dependência.

Um adolescente de 14 anos, que presenciou a atitude do cão, ainda deve ser ouvido pela polícia nos próximos dias. Outras testemunhas também devem comparecer à delegacia para prestar depoimento sobre o caso. "Nós indiciamos a proprietária por homicídio culposo e com o fim do inquérito vamos encaminhar o caso para o juiz, que vai decidir qual a atitude deve ser tomada", diz Estorilio. O caso, entretanto, é tratado como acidente pela polícia.

A respeito do cachorro, segundo o delegado, as informações até agora apuradas dão conta de que o animal não tinha histórico de ataque a outras pessoas, mas que se tratava de um cão agressivo. "É um cachorro de guarda, com o qual havia dificuldade de lidar. O animal era do marido da dona da casa, mas eles não vivem mais juntos e o animal ficou na residência", diz.

Ainda segundo o delegado, a família teria se comprometido a entregar o cão para alguma entidade protetora de animais ou instituição que faça o devido cuidado do cachorro.

Outro caso

Este foi a segundo situação de ataque de cachorro nas duas últimas semanas em Curitiba. No Parolin, um menino de cinco anos foi mordido no rosto e no braço esquerdo por um animal, que pertence ao vizinho da casa onde ele mora com a família. A mãe da criança se preparava para levar o filho para a escola durante a amanhã daquele dia quando o cachorro do vizinho se soltou da corrente, atravessou o terreno de seus donos e avançou sobre a criança.

O menino foi levado para o Hospital Pequeno Príncipe, onde passou por uma cirurgia para fechamento dos ferimentos, mas nenhum dos machucados foi grave. Ele foi liberado no mesmo dia em que foi internado, recebeu medicamentos e vacinação para evitar doenças.

A reportagem entrou em contato com o 2° DP de Curitiba, que atende a região do Parolin. Segundo a polícia, até esta segunda-feira (25), não havia sido registrado boletim de ocorrências sobre esse caso.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.