i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
São Paulo

Em São Vicente, no litoral paulista, 22 idosos morrem em decorrência do calor

Em Santos, 32 idosos também morreram nesta semana. Especialista acredita que outras cidades também tenham mortes

  • PorG1/Globo.com
  • 11/02/2010 15:52

O calor de quase 40º nos últimos dias é o responsável pela morte de 22 idosos em apenas três dias em São Vicente, litoral paulista. Os óbitos foram registrados entre domingo (7) e terça-feira (9). Em Santos, em apenas 48 horas, 32 idosos entre 60 e 97 anos também morreram. Nas duas cidades, o número de mortes é considerado acima da média.

De acordo com a Secretaria de Saúde de São Vicente, os idosos morreram em decorrência do calor. Todos eles apresentavam doenças como diabetes, hipertensão e problemas respiratórios.

Em Santos, em 48 horas, foram 200 chamadas para ambulâncias, quase o dobro da média mensal. Nas unidades de saúde, o atendimento a idosos aumentou na mesma proporção desde o início da semana.

Nos prontos-socorros, a maioria das mortes foi registrada como tendo como causa a insuficiência renal. O quadro de insuficiência causa a má absorção dos líquidos pelo corpo, e acarretam a insuficiência do coração e do pulmão.

O clínico-geral Paulo Olzon, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) chama a atenção para a falta de diagnóstico em casos de morte por calor. "Em São Paulo e no Rio de Janeiro tem feito tanto ou mais calor do que em Santos", afirma. "Será que só lá (em Santos) os idosos estão morrendo?"

Olzon explica que falta no Brasil um protocolo claro para diagnosticar a morte por calor, como o ocorre nos Estados Unidos e na Europa. "Faz falta um protocolo do Ministério da Saúde", afirma.

Uma das características da terceira idade que expõe mais os idosos durante o verão é a maior dificuldade dessa população em eliminar o calor do corpo. "Eles têm mais dificuldade para suar que as pessoas mais novas e têm menos água no corpo, o que é uma característica do envelhecimento", explica Olzon.

Nesta quinta-feira, a chuva que caiu em alguns pontos do litoral paulista amenizou o calor.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.