i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Curitiba

Empresário de 78 anos acusado de cárcere privado e abuso de mulheres é preso

Homem colocava anúncios em jornais oferecendo emprego para empregadas domésticas. Ele é acusado de assediar sexualmente as mulheres que apareciam em busca do trabalho

  • PorAdriano Ribeiro
  • 21/09/2009 15:44

Um empresário de 78 anos foi preso na manhã desta segunda-feira (21) em Curitiba acusado de prender mulheres em seu apartamento para assediá-las sexualmente. Policiais da Delegacia da Mulher conseguiram um mandado de busca, apreensão e prisão provisória graças à denúncia de uma vítima que alega ter ficado presa com o homem por 15 dias.

Além de prender o suspeito, os oficiais libertaram uma mulher que estava no apartamento do homem há dois dias. Também foram apreendidos objetos eróticos, três carteiras de identidade e onze carteiras de trabalho de possíveis vítimas.

De acordo com informações da polícia, Jamhar Amine Domit mora sozinho no 9º andar de um apartamento de 350 metros quadrados no bairro Juvevê. Ele costumava colocar anúncios de emprego em jornais para empregadas domésticas com experiência e que pudessem morar no local de trabalho. "Ele fazia parecer uma proposta séria e oferecia salários de cerca de R$ 1.200", diz a delegada Sâmia Cristina Coser, da Delegacia da Mulher.

Ao chegarem no apartamento, as interessadas no serviço tinham os documentos retidos e passavam a ser assediadas por Domit, que, muita vezes, as trancava e deixava as vítimas sem comunicação. "Ele dizia conhecer muitas pessoas influentes e ameaçava agredir as mulheres caso não cumprissem os pedidos sexuais feitos por ele", conta Coser. Segundo ela, de janeiro a agosto deste ano, 117 mulheres estiveram no local com o empresário. "Não há como ter certeza de que todas foram vítimas dele", ressalta. A delegada ainda afirmou que os porteiros e o síndico do prédio não eram cúmplices do acusado e chegavam a alertar algumas mulheres dos riscos a que estavam sujeitas.

Domit alegou não estar se sentindo bem e não prestou qualquer esclarecimento à polícia nesta segunda-feira (21). Ele foi indiciado por cárcere privado e encaminhado ao Centro de Triagem II, em Piraquara, onde vai ficar preso preventivamente por cinco dias. A delegada vai pedir à Justiça a prisão preventiva do empresário.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.