i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Saúde

Estoques de sangue diminuem em hemocentros do país

Em Belo Horizonte, doadores são convocados pelo telefone. Com a redução, hospitais podem cancelar cirurgias eletivas

  • PorG1/Globo.com
  • 02/01/2009 19:43

No início do ano, quando muitas pessoas viajam e o número de acidentes é grande, os hemocentros de todo o Brasil sofrem com a falta de doadores de sangue.

Em Belo Horizonte, houve uma queda de 50% no número das doações. Para tentar manter o estoque, hemocentro da capital mineira telefona para convocar os doadores.

É o caso da técnica em enfermagem Irene dos Reis, que compareceu para doar depois que foi chamada. "São apenas alguns minutos e você pode salvar uma vida", diz.

O Hemorio, no Rio de Janeiro, que tem capacidade para 600 coletas diárias, tem feito em média apenas 116 coletas.

Em Belém, as doações caíram quase pela metade. E em São Paulo, o estoque está sendo garantido pela reserva de sangue feita em campanhas nos últimos meses, mas a quantidade de bolsas do tipo O negativo é pequena.

"Os doadores que puderem vir, que sejam do tipo O negativo, que compareçam, porque nossos estoques estão bem baixos", diz Sandra Esposti, médica a Fundação Pró-Sangue

A redução das doações nos hemocentros deixa em alerta os hospitais, principalmente aqueles que fazem atendimentos de urgência e emergência. É justamente na época de férias que cresce o número de acidentes e a necessidade de transfusões de sangue.

Se os estoques continuarem baixando, os hospitais podem suspender as cirurgias eletivas, aquelas marcadas antecipadamente.

"Quando os estoques estão muito baixos, o atendimento prioritário é para pessoas vítimas de acidentes, de traumas, de emergência", afirma Regina Bastos, coordenadora do Hemominas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.