i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Homicídio em Rio Branco do Sul

Justiça concede habeas-corpus para a ex-mulher de prefeito assassinado

Nesta quarta-feira, Tribunal de Justiça do Paraná aceitou o pedido de liberdade solicitado pelo advogado de Josiane Portes. Ele estava presa há mais de 25 dias, pois foi apontada como mandante do crime contra o marido

  • PorAdriano Ribeiro
  • 31/03/2010 14:35

Foi concedido pela Justiça na tarde desta quarta-feira (31) um habeas-corpus para libertar Josiane Portes de Barros, ex-mulher do prefeito de Rio Branco do Sul, Adel Ruts, assassinado no último dia 1º no Centro da cidade da região metropolitana. Josiane é acusada de encomendar a morte do marido. Ela estava presa desde o último dia 4.

O desembargador Macedo Pacheco, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), deferiu o habeas-corpus solicitado pelo advogado da acusada, Elias Matar Assad. O pedido de soltura, segundo a defesa, foi baseado na falta de provas contra a mulher. "O homem que a reconheceu como mandante do crime voltou atrás e desmentiu a declaração. O Ministério Público não teve provas para iniciar a ação penal contra ela, então também não há motivo para ela continuar presa", explica Assad.

Por volta das 18h, Josiane deixou a carceragem do Centro de Triagem I, no Centro de Curitiba, onde estava detida. Ela vai responder ao processo em liberdade. Crime

O crime contra o prefeito ocorreu na noite do dia 1º de março. Segundo a versão oficial divulgada pela polícia, nesta data, por volta das 20 horas, Adel Ruts foi abordado por dois motociclistas, enquanto chegava em casa. Ele foi atingido por cinco disparos de arma de fogo. Os tiros teriam sido efetuados por Fábio Faria e Daniel Santos, que estariam na mesma moto. Os dois contavam com a cobertura de Selmo dos Santos, que acompanhava a ação criminosa em outra motocicleta.

Em coletiva realizada no dia 4, o secretario da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazari, anunciou a prisão de Faria, um dos supostos atiradores. Daniel e Selmo continuam foragidos. A ex-mulher do prefeito, Josiane de Portes Barros Luz também foi presa. De acordo com as autoridades, ela foi a mandante do crime e já teria pago R$ 15 mil ao grupo pela execução. Outros R$ 10 mil ainda seriam recebidos pelo trio. A partilha de bens do casal e supostos casos de adultério teriam motivado o assassinato, segundo Delazari.

Na última sexta-feira (26), foi realizada a reconstituição do crime. O processo foi conduzido por policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) e contou com a ajuda de pessoas que testemunharam o homicídio.

Defesa

Na noite em foi preso, Faria confessou o crime e apontou Josiane como a mandante do assassinato, mas posteriormente mudou seu depoimento, afirmando que nunca havia visto a mulher.

Assad efetuou um pedido de revogação da prisão preventiva no último dia 11. Segundo ele, com a mudança da declaração de Faria, não existiriam mais provas que pudessem incriminar a cliente dele.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.