A menina de 6 anos de idade atacada por um cão da raça Pit Bull na quinta-feira (9) no bairro Cajuru, em Curitiba, deixou a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Cajuru, no sábado (11). Segundo informações do hospital, ela respira sem a ajuda de aparelhos e o estado de saúde é considerado estável.

No sábado, em entrevista por telefone, Lenice Mariano, tia da criança, disse que ela está nervosa, chora bastante, mas está entendendo o que é perguntado e responde com gestos.

A menina sofreu lacerações no couro cabeludo e escalpelamento (retirada da pele que cobre o crânio). Além disso, segundo Lenice, ela estaria com o pescoço e a traqueia bastante afetados, uma orelha arrancada e com mordidas na cabeça, no rosto e nas mãos. Ela se recupera de cirurgias realizadas na quinta e sexta-feira.

Ataque

A garota foi atacada por trás por um dos cães do padrasto enquanto brincava no quintal acompanhada pela avó, que estendia roupas no varal, segundo Lenice. O cachorro teria mordido na altura da nuca. A avó foi pedir socorro e encontrou um carro do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) – antiga Rone – que fazia patrulhamento na região.

Os policiais arrombaram o portão e tentaram, sem sucesso, separar a menina do cachorro. Sem alternativas, eles atiraram contra o animal que morreu. A menina foi socorrida pelo Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma de Emergência (Siate).

De acordo com a tia, a menina vivia há um ano na casa com a mãe e o padrasto. "Na casa viviam dois cães da raça Pit Bull e um Rottweiler, todos bem agressivos", explica Lenice. Após o incidente, o padrasto da menina, um homem de 53 anos, foi levado até a delegacia onde assinou um termo circunstanciado e foi liberado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]