i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Foz do Iguaçu

Menino de cinco anos morre após ser agredido pelo padrasto

Denúncia feita pela avó à polícia aponta que garoto foi agredido diversas vezes pelo padrasto. Suspeito do crime foi preso

  • PorLilian Céspedes, especial para Gazeta do Povo
  • 25/08/2014 15:02

Um menino de cinco anos morreu neste sábado (23), nove dias dias após ter sido espancado pelo padrasto em Foz do Iguaçu, no Oeste do Paraná. A criança foi internada no dia 15, após dar entrada no hospital municipal com inúmeros hematomas, marcas de agressões recentes e mais antigas. O menino chegou a passar por uma cirurgia, porém, não resistiu aos ferimentos.

A denúncia de que teria sido o padrasto o autor das agressões foi feita pela avó da criança, que, ao encontra-lo na igreja, no último dia 15 de agosto, percebeu os ferimentos e chamou a polícia. O padrasto, de 30 anos, foi preso após a denúncia. Já a mãe da criança permanece livre, entretanto, sendo investigada.

Segundo a delegada do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente – Nucria, Mônica Ferracioli, o padrasto afirmou que havia agredido o enteado, mas não no dia 15, e sim no dia 8 de agosto. "Nos depoimentos do padrasto e da mãe da criança (28 anos), eles afirmaram que a última agressão ocorreu dia 8", explicou.

A mãe da criança contou em depoimento que as agressões feitas pelo padrasto eram comuns, para corrigir o comportamento do menino. "Ela disse que ele era uma criança muito levada e agitada, e o padrasto às vezes batia para corrigi-lo. Eles não disseram quais eram as formas de agressões nem há quanto tempo elas ocorriam precisamente, nós teremos acesso há isso após a liberação dos exames, que será incluído na investigação", contou a delegada. O padrasto, preso no último dia 16, foi encaminhado à Cadeia Pública Laudemir Neves, em Foz do Iguaçu. "Nós encaminhamos os documentos da denúncia para o fórum na sexta-feira (22), abrimos um inquérito quanto à mãe da criança e aguardamos a resposta do juiz. Quanto à prisão o padrasto, ela já foi convertida em preventiva", finaliza.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.