Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado

Tomou posse nesta terça-feira (16) o professor Élio de Almeida Cordeiro para o cargo de reitor pro tempore (temporário) do Intituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná (IFPR). A medida consta em portaria do Ministério de Estado da Educação (MEC), publicada na última segunda-feira (15) no Diário Oficial da União (DOU).

Cordeiro substitui Ezequiel Westphal, afastado do cargo por uma liminar da 1ª Vara Federal de Curitiba. A decisão judicial determinou a suspensão de todo o processo eleitoral que elegeu Westphal no dia 7 de maio, por indício de irregularidades na eleição. A ação foi proposta pelo candidato de oposição, Frederico Fonseca.

Eleito para a gestão 2015-2019, Westphal estava no cargo desde março deste ano. Ele assumiu no lugar de Irineu Colombo, afastado do cargo após decisão da Justiça Federal que apontou que seu mandato havia sido prorrogado de maneira irregular desde 1.º de maio de 2014.

Este mandato, em substituição a Colombo, acabou no fim de semana de 13 de maio. Assim, “fez-se necessário a nomeação de um dirigente pro tempore para que a instituição não ficasse sem comando”, segundo o MEC.

As possíveis irregularidades no processo eleitoral do instituto estão sob análise técnica da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec), do Ministério da Educação. De lá, o caso segue para a área jurídica do ministério.

Comunidade

Presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Educação Básica, Técnica e Tecnológica do Estado do Paraná (Sindiedutec), Nilton Brandão criticou a decisão do MEC de nomear um reitor externo. “Fere a autonomia da instituição. O Sindiedutec é contra o processo de intervenção, mesmo sabendo que não haveria outra alternativa”, argumenta.

O sindicato defende que ministério investigue as possíveis irregularidades no processo eleitoral e que, caso necessário, determine novas eleições “o mais rápido possível”.

Experiência

Esta é a segunda experiência pro tempore de Élio de Almeida Cordeiro. Lotado no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (Ifes), ele foi nomeado em 2012 como reitor temporário do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA), após indícios de irregularidades na instituição do Norte do país.

A nomeação ocorreu após indícios de desvio de recursos públicos no IFPA. Cordeiro permaneceu na reitoria até 30 de abril deste ano, quando transmitiu o cargo para Cláudio Alex da Rocha, reitor eleito da instituição.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]