Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Vida Pública
  3. “Bondade” do governo com municípios vem de arrecadação antecipada de ICMS

no Paraná

“Bondade” do governo com municípios vem de arrecadação antecipada de ICMS

No início da semana, o governador distribuiu R$ 430 milhões aos 399 municípios do estado

  • João Frey
Richa e prefeitos posam para foto com o cheque repassado aos municípios pelo governo do estado | Ricardo Almeida / ANPr
Richa e prefeitos posam para foto com o cheque repassado aos municípios pelo governo do estado Ricardo Almeida / ANPr
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Os paranaenses que já estavam habituados ao discurso de falta de dinheiro no caixa do governo do estado podem ter estranhado a cena de bonança registrada no Palácio Iguaçu no início desta semana.

Na segunda-feira (16), o governador Beto Richa (PSDB) distribuiu cheques – em tamanho real – a dezenas de prefeitos de todo o estado e posou para fotos ao lado do tradicional cheque gigante. Ao todo, o governo estadual repassou R$ 430 milhões aos 399 municípios do Paraná.

INFOGRÁFICO: Veja a divisão do destino do ICMS

O recurso é referente a uma arrecadação extra de R$ 1,7 bilhão de ICMS que o governo do obteve depois de negociar o adiantamento do pagamento de tributos de empresas que aderiram ao Paraná Competitivo. As companhias que aderiram ao programa de incentivo fiscal tiveram como benefício a possibilidade de postergar o pagamento do tributo. De acordo com informações da Secretaria da Fazenda, o ICMS extra estava previsto para ingressar nos cofres do estado a partir de 1º janeiro de 2018, mas foi adiantado em decorrência de um desconto oferecido pelo governo.

Confederação vai ao STF contra suspensão de reajuste a servidores no Paraná

Como acontece com todo recurso arrecadado via ICMS, o governo do estado é obrigado a repassar 25% do montante aos municípios. Portanto, a distribuição, apesar de não estar prevista nos orçamentos municipais por ser oriunda de um pagamento extraordinário, não é voluntária e não obedece a critérios políticos.

O repasse é significativo para os municípios?

Mesmo que apenas oito das 72 empresas sondadas pelo governo tenham aderido ao pagamento adiantado, o valor arrecadado é significativo para o caixa dos municípios. Em 2016, o valor mensal médio repassado às prefeituras foi de R$ 540 milhões. Na prática, é quase como se os municípios paranaenses tivessem direito a um 13º repasse de ICMS no ano.

Dados consolidados da Secretaria do Tesouro Nacional apontam que, nas cidades paranaenses, a cota-parte do ICMS a que as prefeituras têm direito representou, em média, 21% das receitas totais de 2013.

O que será feito com a cota extra que vai ficar com o governo?

Ao contrário do que acontece nos municípios, os recursos já estavam previstos no orçamento do governo do estado para 2017 porque a negociação com as empresas já estava em andamento desde o ano passado.

Segundo o secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, o planejamento orçamentário do estado para 2017 prevê cerca de R$ 600 milhões em investimentos oriundos desse adiantamento.

O valor ainda deve ser atualizado de acordo com os descontos que serão feitos sobre o total de R$ 1,7 bilhão efetivamente arrecadado. Segundo um documento da Secretaria da Fazenda, cerca de 70% da arrecadação de ICMS é carimbada, ou seja, apenas 30% integram a receita livre do estado.

O estado pretende fazer novos adiantamentos?

Segundo o secretário Mauro Ricardo, o plano do governo estadual é antecipar o restante dos valores que o Paraná tem a receber de empresas que aderiram ao programa Paraná Competitivo por meio da venda desses créditos tributários. Ou seja, em vez de receber diretamente das empresas que devem o imposto, o estado pretende vender esses créditos a outras empresas, de modo a adiantar o recebimento. Entretanto, essa operação, chamada de securitização de recebíveis, foi barrada foi barrada pelo Tribunal de Contas, em 2016.

“Estamos prestando todos os esclarecimentos correspondentes para que a gente possa discutir isso no âmbito do Tribunal. Liberando a operação no Tribunal nós faremos essa securitização com uma lei correspondente e específica para isso”, afirmou o secretário da Fazenda.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE