O advogado da filha do presidenciável José Serra, Sérgio Rosenthal, esteve nesta sexta-feira (10) na Superintendência da Polícia Federal em São Paulo e disse que recebeu da PF a informação de que, a exemplo do caso de Veronica Serra, foi usada uma procuração falsa para se ter acesso aos dados fiscais do marido dela, Alexandre Bourgeois.

"Foi possível constatar informações extremamente importantes, que é o fato de o sigilo fiscal do sr. Alexandre Bourgeois ter sido violado mediante a utilização de uma procuração falsa similar à procuração utilizada para violar o sigilo da sra. Veronica. Essa é uma informação nova que me foi passada pelo delegado de polícia", declarou.

Segundo Rosenthal, essa procuração deu poderes a Antonio Carlos Atella Ferreira, o mesmo que apresentou a falsa procuração de Veronica, para acessar os dados fiscais sigilosos de Bourgeois.

A Receita Federal e o Ministério da Fazenda foram procurados pelo G1 e ainda não se manifestaram sobre o assunto. A Polícia Federal informou que, até o momento, não há informações que confirmem a utilização de uma procuração falsa para acessar o sigilo fiscal de Alexandre Bourgeois.

De acordo com o advogado, a procuração foi protocolada na Delegacia de Santo André, na mesma data em que foi protocolada a falsa procuração por meio da qual se teve acesso aos dados fiscais sigilosos de Veronica Serra.

Rosenthal foi à Superintendência da PF para marcar os depoimentos de Veronica Serra e o do marido dela, agendados para a próxima quarta (15), segundo ele. "Certamente eles virão juntos. Cada um será ouvido separadamente. Isso é algo bastante natural, muito simples, e a necessidade do comparecimento consiste exatamente na necessidade de se colher material gráfico para que possa ser feita essa prova pericial", afirmou.

A Receita Federal já havia confirmado ter havido acesso aos dados de Alexandre Bourgeois, mas informou que os acessos, ocorridos por meio de computadores da agência de Mauá (SP) da Receita, foram a dados cadastrais e não a informações fiscais.

Rosenthal disse acreditar que a Polícia Federal trabalhe com a hipótese de ter havido motivação política nos acessos aos dados do casal.

Servidora

A analista tributária Lúcia de Fátima Mila, servidora da Receita Federal, também compareceu nesta sexta à Superintendência da Polícia Federal, supostamente para prestar depoimento. Ela acessou os dados fiscais da filha de Serra depois de receber a procuração que mais tarde se revelou falsa.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]