031155

Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Vida Pública
  3. Justiça e Direito
  4. Jurisprudência
  5. Depois de usar helicóptero para furar greve, banco vai indenizar funcionário

Direito do trabalho

Depois de usar helicóptero para furar greve, banco vai indenizar funcionário

TST entendeu que o direito de greve, previsto na Constituição, foi desrespeitado

  • Da redação
 | Daniel Castellano / Gazeta do Povo
Daniel Castellano / Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O Tribunal Superior de Trabalho (TST) condenou o banco HSBC a pagar indenização de R$ 20 mil a um analista que reclamou na Justiça por ter sido impedido de participar da greve. Segundo o funcionário, durante a greve, os bancários recebiam ligações com orientações sobre lugares alternativos para trabalharem, havia plano de contingência para orientar o serviço e o comportamento dos funcionários e até um helicóptero foi contratado pelo banco para levar analistas ao prédio onde eles trabalhavam.

O argumento do banco foi o de que apenas buscaram alternativas para que aqueles que quisessem trabalhar tivessem condições para cumprir suas atividades, já que os grevistas faziam barreiras na entrada das agências e dos locais de trabalho. Mas o TST manteve o entendimento do Tribunal Regional Federal da 9ª Região (TRT-9) de que o direito de greve, previsto na Constituição Federal, foi desrespeitado.

Em primeira instância, na 7ª Vara do Trabalho de Curitiba (PR), o depoimento de uma testemunha, que também trabalhava na instituição financeira, serviu para confirmar a denúncia do bancário de que havia proibição de fazer greve. Além disso, conforme a sentença, ao invés da coação, o banco poderia questionar judicialmente a legitimidade da greve.

No recurso ao TST, o bancário solicitava que o valor da multa fosse aumentado, mas a relatora do caso, ministra Maria Cristina Peduzzi, considerou que o valor fixado inicialmente estava de acordo com o princípio da razoabilidade e não seria necessário fazer alterações.

Com informações da assessoria de imprensa do TST

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE