i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
eleições 2010

Líderes peemedebistas insatisfeitos articulam resistência nacional

  • PorDa Redação, com agências
  • 19/10/2009 21:04
Dilma enfrenta a resistência de peemedebistas e o receio do PP | josé Cruz/ABr
Dilma enfrenta a resistência de peemedebistas e o receio do PP| Foto: josé Cruz/ABr

Curitiba, São Paulo e Brasília - O anúncio de que o PMDB paranaense não aceita coligar-se com a provável candidata petista Dilma Rousseff na eleição presidencial de 2010 faz parte de uma estratégia que está sendo costurada pelos líderes do partido insatisfeitos com a subordinação da legenda ao PT. Eles acertaram que intensificarão a resistência à direção nacional do partido, que pretende indicar o presidente nacional licenciado da legenda, deputado Michel Temer (PMDB-SP), para a vaga de vice de Dilma.

A ideia é trazer para a seara de oposição a Dilma diretórios onde a situação está indefinida ou onde há espaço para negociação, como Paraná, Minas Gerais, Santa Ca­­­tarina, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e Mato Grosso do Sul. Bastiões da oposição, Pernambuco e São Paulo, onde o PMDB é controlado pelo senador Jarbas Vasconcelos e pelo ex-governador Orestes Quércia, respectivamente, defendem aliança com PSDB.

Ontem, Quércia conversou com o governador de Santa Catarina, Luiz Henrique, para aprofundar o contra-ataque. "Agora, o esforço é para organizar (a oposição à tese de apoio a Dilma)", disse Quércia, para quem a instância legítima para definir as alianças do PMDB é a convenção nacional em junho.

No caso do Paraná, cogita-se nos bastidores que o PMDB poderia inclusive aceitar uma coligação com o PSDB nas esferas nacional e estadual. No caso, o governador Roberto Requião sairia candidato ao Senado com o apoio do candidato tucano ao governo do estado. Hoje, o senador tucano Alvaro Dias seria o nome ideal para lançar-se ao Palácio Iguaçu e promover uma composição entre os dois partidos no Paraná. No entanto, há uma ala de peemedebistas que defendem inclusive o nome do prefeito de Curitiba, Beto Richa (PSDB), com quem Requião teve uma briga política recente.

Acerto adiado

Não é só em parte do PMDB em que a articulação pró-Dilma tem sofrido revezes. O PP, partido da base de Lula, não dá sinais de que vai atender aos apelos de integrantes do governo em curto prazo para formalizar a aliança com o PT na eleição presidencial. Às vésperas do PP se reunir com a Dilma para discutir alianças, integrantes da legenda admitem o racha da bancada – apesar de Dilma ter a simpatia de grande parte do partido. Antes de decidir se vai integrar oficialmente a chapa de Dilma, o PP quer solucionar impasses regionais provocados pela eventual aliança com o PT em nível nacional.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.