Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Padre Roque: decisão política | Roberto Custódio/Jornal de Londrina
Padre Roque: decisão política| Foto: Roberto Custódio/Jornal de Londrina

O prefeito interino de Londrina, Padre Roque (PTB), anunciou ontem a revogação do decreto do ex-prefeito Nedson Micheleti (PT) que autorizava o reajuste das tarifas do transporte coletivo.

Com a decisão, a passagem de ônibus continua custando R$ 2,00. O reajuste deveria ter entrado em vigor no dia 28 de dezembro, mas uma decisão da juíza Zilda Romero, em 27 de dezembro, impediu o aumento da tarifa para R$ 2,12 aos usuários do cartão-transporte e para R$ 2,25 a quem paga com dinheiro.

Padre Roque afirmou que a revogação do decreto não é apenas uma questão técnica, mas política também. "É um respeito ao cidadão londrinense, em uma época de crise mundial", disse ele. O novo prefeito afirmou que estudará as planilhas apresentadas pela gestão anterior para verificar os custos do sistema. Caso seja necessário, porém, ele não descarta reajustar a tarifa.

A assessoria do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo (Metrolon) informou que pretende se reunir com a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) para discutir o assunto. O novo presidente da CMTU, Paulo Carvalho, disse que não teme contestações das empresas de transporte coletivo. "A CMTU tem que defender os interesses da população de Londrina."

Saúde

Após anunciar a revogação do reajuste da tarifa, o prefeito Padre Roque acompanhou o novo secretário da Saúde, Aparecido Andrade, a uma visita à unidade básica de saúde do Conjunto Maria Cecília, Zona Norte de Londrina. Na tarde de segunda-feira, quando foi anunciado para o cargo, Andrade surpreendeu ao afirmar que não conhecia as unidades de saúde da cidade. "Ainda não conheço sobre a necessidade de médicos e de fato nunca atendi em um posto. Mas isto não vai atrapalhar", disse.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]