Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Tercílio Turini. Foto: Pedro de Oliveira/Alep.
Tercílio Turini. Foto: Pedro de Oliveira/Alep.| Foto:

Dos 54 deputados estaduais paranaenses, apenas dois compareceram a todas as sessões plenárias do primeiro semestre. Tercílio Turini, do PPS de Londrina, e o delegado Rubens Recalcatti, não precisaram sequer justificar ausências.

Em tese, os deputados recebem desconto de mais de R$ 800 a cada vez que faltam ao plenário. No entanto, o blog revelou na semana passada que a Assembleia “abonou” 103 ausências, pagando aos parlamentares R$ 86 mil por sessões a que eles não compareceram.

Os deputados têm direito, pelo regimento, a abonar uma ausência por mês, sem sequer apresentar justificativa para não terem comparecido ao trabalho. No primeiro semestre, 45 deputados usaram esse expediente pelo menos uma vez. Alguns usaram em quase todos os meses.

Leia mais: Revista revela vídeos de depoimentos de Fernanda Richa na Quadro Negro

Além de Tercílio e Recalcatti, alguns deputados tiveram justificativas razoáveis para as poucas ausências que tiveram, sem precisar recorrer ao expediente do abono.

Alexandre Guimarães esteve ausente uma única vez por estar em viagem acompanhando o governador. Claudio Palozi se ausentou uma vez porque estava em missão oficial designada pela Assembleia. Tadeu Veneri se ausentou duas vezes pelo mesmo motivo.

Além deles, Hussein Bakri também não recorreu nenhuma vez ao abono. Esteve ausente por sete dias, mas com atestado médico.

Os deputados Ademar Traiano e Jonas Guimarães faltaram várias vezes, mas como são dirigentes da Assembleia, alegaram sempre estar ocupados com tarefas administrativas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]