Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Na Pasta Basta a massa é feita em casa, como se fosse na Itália.
Na Pasta Basta a massa é feita em casa, como se fosse na Itália.| Foto: Munir Bucair

Comida de afeto, de carinho, de esquentar o coração. É a prazerosa sensação que se tem ao saborear qualquer prato do Pasta Basta, restaurante que acaba de abrir em Curitiba.

Tudo tem a ver com o que pensam e sentem Erich Zelazowski e Yasmin Taketani, criadores do projeto. O casal traduziu no próprio restaurantes os seus anseios de prazer em bem comer, a partir de interpretações de deliveries que eles mesmos pediam nesses tempos de pandemia.

Eles queriam pratos, principalmente de massa, que chegassem no ponto, na casa do consumidor, e que tivessem preços mais acessíveis. Uma comida para pequenas comemorações cotidianas - explicaram.

E aí veio o mote para a abertura de uma casa que levasse às pessoas comida que oferece plena satisfação. Esta é a base, então, do restaurante Pasta Basta. Com uma proposta de cozinha casual italiana, o novo empreendimento alia qualidade e casualidade no menu, no ambiente presencial e no delivery.

Arancini com recheio de muçarela e funghi - a única entrada do cardápio. E basta.
Arancini com recheio de muçarela e funghi - a única entrada do cardápio. E basta.| Foto: Munir Bucair

E o novo empreendimento nasceu na contramão do que normalmente ocorre no meio. Enquanto a maioria dos restaurantes pré-pandemia inaugurava um espaço físico para então criar seu delivery, a Pasta Basta já nasceu focada nos dois modelos: buscando levar o máximo de qualidade da refeição presencial para o delivery e trazendo a descontração e o conforto de pedir em casa para a experiência do salão.

O resultado não poderia ter sido melhor. Dia desses fui conhecer a casa, pequena, linda e acolhedora, com um cardápio curto e saboroso, focado, claro nas massas, plenamente justificado pelo nome escolhido para o restaurante.

Erich Zelazowski, apesar do sobrenome, o chef e cozinheiro da casa italiana.
Erich Zelazowski, apesar do sobrenome, o chef e cozinheiro da casa italiana. | Foto: Munir Bucair

E não seria de se esperar diferente, vindo de duas pessoas estreitamente ligadas à gastronomia. Erich é formado em administração hoteleira pelo Senac de Águas de São Pedro e sua experiência nos fogões começou cedo. Passou pelo Boulevard, com o chef Celso Freire, e foi cozinheiro na França e na Inglaterra, chef particular em Ibiza e, nos últimos anos, deu consultoria para um hotel no sul da Bahia, chamado Vila Naiá.

Yasmin, de seu lado, é jornalista e, durante um bom tempo, trabalhou na área de gastronomia, na revista Top View, chegando à função de editora da área. Esteve, portanto, do outro lado, avaliando e sentindo o que os cozinheiros traziam de melhor. Tem, por consequência, o feeling para apreciar e entender a boa comida, o que também leva para o novo projeto.

Paleta suína ao molho de vinho branco e laranja - uma das sugestões de prato principal.
Paleta suína ao molho de vinho branco e laranja - uma das sugestões de prato principal. | Foto: Munir Bucair

Sabores de uma casa italiana

Entre os destaques do cardápio, estão o Pappardelle com ragú de ossobuco (R$ 37,90), a Paleta suína ao molho de vinho branco e laranja, os Arancini com recheio de muçarela e funghi e o Tiramisù.

Há uma entrada só e uma sobremesa só. Mas, mesmo que houvesse outras opções, acho que dificilmente alguém escaparia dos Arancini (4 por R$ 17,80), que são crocantes por fora e seduzem com o recheio cremoso de muçarela e funghi. O mesmo se diz da sobremesa, o clássico Tiramisù (R$ 14,90), irrepreensível (veio na embalagem de delivery, bem bonita e simpática).

Tortei de abóbora na manteiga e sálvia.
Tortei de abóbora na manteiga e sálvia. | Foto: Munir Bucair

Pedimos a Paleta suína (R$ 37,90) e um Tortei de abóbora na manteiga e sálvia (R$ 33,90). Só depois notamos que a massa que acompanha a paleta, um tagliatelle, também vinha com manteiga e sálvia. Sim, fomos redundantes, mas ambos os pratos estavam muito bons. A paleta desmanchando de macia, passando todo o sabor agridoce da laranja, enquanto o Tortei passa a delicadeza da abóbora no recheio e crocância das amêndoas, no entorno.

Tem mais. Um Tagliatelle ao sugo de tomate (R$ 22,50), outro à bolonhesa (R$ 28,50) e ainda mais um, ao molho de queijos (muçarela, parmesão e queijo de cabra – a R$ 25,50). Além do tortei, outra massa recheada é o Ravióli de queijo ao molho pesto e tomate-cereja (R$ 35,90), além de um atraente Frango assado na salsa verde com tagliatelle na manteiga (R$ 33,90).

Há uma carta de vinhos curta, mas bem interessante, cerveja Heineken e alguns refrigerantes.

Yasmin Taketani e Erich Zelazowski. Parceria perfeita, na vida pessoal e na Pasta Basta.
Yasmin Taketani e Erich Zelazowski. Parceria perfeita, na vida pessoal e na Pasta Basta. | Foto: Munir Bucair

No delivery, eles vão embalados com muito design e cuidado para que a comida chegue na melhor qualidade possível.

O ambiente, projetado pelo Numa Arquitetos, conta com área externa para dias de sol e noites agradáveis, além de ser pet friendly.

O restaurante tem capacidade para atender até 24 pessoas (já como as medidas do protocolo da Covid), e funciona de terça-feira a sábado, das 18h30 às 22h, e, aos sábados e domingos, para almoço, das 12h às 15h.

É de se conhecer, aplaudir e voltar sempre.

A fachada da Pasta Basta, no centro de Curitiba.
A fachada da Pasta Basta, no centro de Curitiba. | Foto: Alexandre Kenji
O salão interno da Pasta Basta. Pequeno e aconchegante.
O salão interno da Pasta Basta. Pequeno e aconchegante. | Foto: Alexandre Kenji

Pasta Basta

Rua Saldanha Marinho, 1219 – Centro

Fone: (41) 99282-8922

Instagram: https://www.instagram.com/pastabastacwb/

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=

Entre em contato com o blog:

Blog anterior: http://anacreonteos.blogspot.com/

Twitter: http://twitter.com/AnacreonDeTeos

E-mail: a-teos@uol.com.br

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]