i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Maringá

Superlotação do Pronto Socorro é uma rotina, diz direção do HU

O problema é a falta de vagas em outros hospitais, pois os pacientes não podem ser transferidos do Hospital Universitário antes da confirmação de leitos em outras unidades de saúde

  • PorHélio Strassacapa, com informações de Juliane Guzzoni, da TV Cultura
  • 27/11/2009 17:10

Capacidade estava ultrapassada em quatro vezes na tarde desta sexta

No hospital que atende 25 municípios da região de Maringá e dispõe de apenas 31 leitos no pronto socorro, a situação foi mais uma vez crítica nesta sexta-feira (27). Cerca de 120 pessoas se amontoavam nos corredores e até no chão do Hospital Universitário (HU) de Maringá em internamentos de improviso. Para tentar dar conta dos pacientes, médicos e enfermeiros colocaram leitos nos corredores com cadeiras e colchões espalhados no piso. Para a direção, a situação não é nenhuma novidade. "A direção do Hospital Universitário de Maringá informa que a superlotação do Pronto Socorro é uma rotina. A demanda é maior que a capacidade instalada do HU", diz a nota de esclarecimento.

A função do pronto socorro do HU é oferecer os primeiros atendimentos e em seguida os pacientes deveriam ser transferidos para outros hospitais também credenciados junto ao Sistema Único de Saúde. Contudo, a falta de vagas em outras unidades de saúde sobrecarrega o HU, visto que as pessoas não podem ser retiradas enquanto não há liberação de leitos nos demais hospitais. Até as 19 horas desta sexta-feira, ainda havia 28 pessoas esperando vagas em outros hospitais e 6 aguardando um leito de UTI

O fluxo de pacientes aumenta com a chegada do fim de ano, explica a direção. "Dezesseis dias que estou esperando vaga no outro hospital para fazer cirurgia" disse Claudecir Franco, montador de estruturas em entrevista ao Paraná TV. Já outro menino flagrado pela reportagem precisa de uma cirurgia no braço, mas não há previsão de marcação. Uma aposentada de 73 anos com o braça quebrado foi acomodada em um colchonete colocado sobre cadeiras. "É no improviso. Vamos ver até quando vai?", questionou Albertina de Oliveira.

Em meio ao tumulto dos corredores, uma preocupação a mais. Um quarto reservado para pacientes com suspeita da gripe A permanece sem nenhum tipo de isolamento. Sobre isso, a direção comunica em nota que o isolamento levou em conta as medidas preconizadas pela vigilância epidemiológica.

Outros números revelam a importância da unidade para a região de Maringá. O HU acaba de completar 20 anos, conta com 123 leitos, sendo 92 para internamento e outros 31 de pronto-socorro. O hospital tem atendimento 24 horas e 47 mil pessoas passam pelo PS todos os meses. Por ano, 9 mil pessoas permanecem em internamento.

Para ampliar a capacidade, a direção tem projetos aprovados, mas sem recursos. Entre os quais, ampliação de leitos de UTI, inclusive neo-natal, construção de laboratório de oncohematologia e mais um setor cirúrgico.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.