i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Anúncio polêmico

ONU agora quer aborto por telemedicina

  • PorElyssa Koren
  • National Review
  • 16/10/2020 20:00
A ONU continua sua defesa do aborto
| Foto: Freeimage

Várias entidades que fazem parte da Organização das Nações Unidas (ONU), incluindo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a UNICEF, a UNFPA e o Banco Mundial, farão parceria com grupos abortistas para promover o “direito humano” à interrupção de gravidez. A ONU fez o anúncio em 29 de setembro para comemorar o chamado Dia Internacional do Aborto Seguro, com o objetivo declarado de abordar o “aborto inseguro” no contexto da pandemia da Covid-19.

A parceria, liderada pelo Departamento de Saúde Sexual e Reprodutiva e Pesquisa, da OMS, reunirá entidades da ONU com as maiores instituições fomentadoras da "interrupção de gravidez" do mundo, incluindo a International Planned Parenthood Federation (IPPF), IPAS e Marie Stopes International, para promover "atenção abrangente ao aborto", incluindo o acesso ao procedimento de forma autoadministrada por meio da telemedicina, como um serviço essencial e um “direito humano”.

Ao colaborar com “estratégias de mitigação” para favorecer o acesso ao procedimento de "interrupção de gravidez", além de “financiamento” para serviços de aborto, o objetivo da aliança por um grande movimento pró-aborto - tendo a ONU como representante - é o de tornar o procedimento disponível e acessível sob demanda em todos os lugares. O anúncio vai tão longe a ponto de destacar não apenas as meninas, mas também "aquelas com identidades de gênero variadas" como pessoas que deveriam poder receber "cuidados relacionados ao aborto".

A cooperação entre a ONU e a indústria do aborto não é nada novo, mas o clima do coronavírus abriu caminho para alianças cada vez mais descaradas e bizarras. Essa é uma nova direção para o UNICEF e o Banco Mundial, por exemplo, os quais tradicionalmente se afastaram do ativismo aberto pela "interrupção de gravidez". Embora seja um lugar-comum, é essencial sublinhar que a promoção do aborto por parte da ONU está em desacordo com seu mandato institucional. Os governos nacionais, e não a burocracia internacional, devem traçar o curso do sistema das Nações Unidas.

Enquanto existirem governos pró-vida – e há muitos governos robustos que são defensores da vida – é impróprio e ilegítimo para a ONU promover unilateralmente o aborto sob demanda. Na verdade, só a poderosa voz pró-vida dos Estados Unidos torna ilícitas a promoção contínua da interrupção de gravidez por parte da ONU e essas novas parcerias.

Como os Estados Unidos articularam recentemente em uma declaração às Nações Unidas: “Não existe direito internacional ao aborto, nem existe qualquer obrigação por parte dos Estados de financiar ou facilitar o procedimento”. Essa tem sido uma postura consistente e frequente do governo dos EUA, que tem obtido amplo apoio de países em todo o mundo.

Mesmo assim, o secretário-geral da ONU recentemente identificou o aborto como central para a resposta da ONU à Covid-19, e o Alto Comissário da organização para os direitos humanos expressou seu apoio ao “Dia do Aborto Seguro”. Da mesma forma, no anúncio da parceria, Ian Askew, diretor do Departamento de Saúde Sexual e Reprodutiva e Pesquisa da OMS, afirmou que “eliminar o aborto inseguro é um dos principais componentes da estratégia de saúde reprodutiva global da OMS”.

Jargão à parte, os esforços da ONU para lidar com o “aborto inseguro” são um eufemismo para tentar aumentar o acesso ao procedimento onde ele é ilegal. O anúncio observa que 121 milhões de gestações a cada ano são "não intencionais" – uma estatística não comprovada utilizada para justificar a necessidade de "atenção ao abortamento seguro".

A declaração acrescenta que “adiar a atenção ao aborto durante a pandemia de Covid-19 pode levar a um aumento da morbidade e mortalidade”, outro ponto de dados sem apoio verificável. Tentar desmantelar a infraestrutura pró-vida de estados soberanos é uma violação grosseira da ordem internacional, mal disfarçada como um esforço para proteger as mulheres.

Mais alarmante, o anúncio defende os abortos por telemedicina como a solução para o problema do aborto inseguro. Tal recomendação revela um desrespeito surpreendente pela saúde e segurança das mulheres. Observando que muitas delas, especialmente nas áreas rurais, não têm acesso a profissionais de saúde, a OMS afirma que é preferível que elas recorram ao procedimento de forma autoadministrada. Esta é uma negligência médica flagrante que certamente prejudicará inúmeras mulheres em todo o mundo.

Como autoridade médica global, a OMS está bem ciente de que as complicações da "interrupção de gravidez" induzida por drogas são sérias e extensas. A pílula do aborto resultou em 4 mil reações adversas e 24 mortes maternas somente nos Estados Unidos. Basta extrapolar para imaginar as consequências terríveis nos países em desenvolvimento, onde estradas ruins obstruem o acesso aos hospitais, e instalações médicas carecem de sangue para intervenções básicas de salvamento. Como as mulheres que já sofrem com a falta de apoio médico podem sobreviver às muitas vezes numerosas e graves complicações de um aborto doméstico?

O anúncio termina com a promessa assustadora de que o aborto por telemedicina poderia ser uma "oportunidade de longo prazo" usada "em um futuro distante". Tal projeção sugere que leis pandêmicas implementadas às pressas podem levar a mudanças legais permanentes e catastróficas. No Reino Unido, por exemplo, onde duas mulheres morreram em decorrência de abortos caseiros recentemente legalizados, a pressão começou a tornar a exceção pandêmica uma realidade permanente.

Os governos devem se opor ativamente à legalização de práticas prejudiciais que ferem as mulheres e tiram a vida de crianças que ainda não nasceram. A pressão da ONU para legalizar o aborto por telemedicina e outros serviços perigosos deve ser exposta pelo que é – falsa autoridade disfarçando o ativismo e uma parceria entrincheirada com a indústria do aborto.

Elyssa Koren é diretora da Alliance Defending Freedom (ADF) junto à ONU.

© 2020 National Review. Publicado com permissão – Original em inglês

10 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 10 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • D

    Daniel M

    ± 4 dias

    A maldade do ser humano é algo muito impressionante, essa agenda esquerdista vai acabar com o que resta da humanidade.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    All Jr

    ± 5 dias

    ********! Usam a desculpa de “promoção de direitos humanos” pra avançarem com essa agenda maldita esquerdopata! Desde quando o assassinato de inocentes pode ser considerado um direito humano? Acorda Brasil!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    Fernando Nunes

    ± 5 dias

    Cadê o Papa? Esse homem que dizem ser santo, que quer controlar a Amazônia e se faz indiferente aos infanticidas da ONU.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • L

      Lore C . Valent

      ± 5 dias

      Esse embusteiro desonra o trono de São Pedro. Saudades do J. Paulo II.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Antônio Carlos Teixeira

    ± 5 dias

    A ONU perdeu a credibilidade, perdeu a moral, perdeu o respeito. Até quando sobreviverá esse cabide de emprego?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    jaimeguaira

    ± 5 dias

    Uma vergonha, nossos antepassados ditos"matutos" em respeito a Família e a sua Fé, muitas vezes abriam mão de prazeres para preservação da Vida. Hoje pessoas sabidamente consideradas cultas pregam o extermínio de Vidas de inocentes para preservar atos de Pais inconsequentes na maioria das vezes....me pergunto até onde vai a evolução da propagada evolução da inteligência humana...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Admar Luiz

    ± 5 dias

    Como são humanistas esses caras da ONU, hein? Como são defensores da vida? Matar criança no ventre da mãe é tisnar as mãos com o sangue de um inocente. Imorais. Assim como a OMS, a ONU é um antro de esquerdistas ignóbeis. NÃO ao aborto, SIM à vida.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    Paulo H.

    ± 5 dias

    O fato demanda mais reação do que lucubração. E o fato é: A ONU ESTÁ A SERVIÇO DA MORTE. O que fazer? Como reagir? E como perguntar não ofende, alguém viu Sua Santidade?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Maquiavel

    ± 5 dias

    ONU = lixão esquerdista

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • L

      LSB

      ± 5 dias

      Lixo de verdade serve para alguma coisa... esse povo serve como esterco?!?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.