i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Protesto

Paris e Londres registram manifestações contra ataques à Gaza

Na França, 5 mil pessoas, segundo os organizadores, atenderam à convocação para protestar em Paris e em outras cidades francesas feita por várias associações e partidos

  • PorAFP
  • 17/11/2012 14:53

Centenas de manifestantes pró-palestinos protestaram neste sábado diante das embaixadas israelenses de Paris e Londres contra a operação militar na Faixa de Gaza, onde já morreram 40 palestinos.

Na França, 5 mil pessoas, segundo os organizadores, atenderam à convocação para protestar em Paris e em outras cidades francesas feita por várias associações, pelo Partido Comunista Francês (PCF) e pela Europa Ecologia Verdes (EELV).

"Aqui, as crianças perdem seus brinquedos, em Gaza, são o brinquedos que perdem suas crianças", denunciava um cartaz em alusão às crianças mortas na operação "Pilar de Defesa" lançada na quarta-feira por Israel com o assassinato do chefe das operações militares do Hamas, Ahmed Jabari.

"Israel, a Palestina não é tua", "Gaza, não te esquecemos" e "Israel criminoso, [o presidente francês François] Hollande cúmplice" eram alguns dos cartazes exibidos pelos manifestantes.

Em Londres centenas de pessoas também se manifestaram diante da embaixada israelense, protegida à distância pela polícia, com bandeiras palestinas e cartazes que pediam para os israelenses interromperem o massacre contra a população da Faixa de Gaza.

Vários participantes discursaram em público para denunciar a tomada de posição do governo britânico. O ministro das Relações Exteriores britânico, William Hague, afirmou na quinta-feira que o Hamas era "o principal responsável pela atual crise" e condenou os disparos de morteiro de Gaza contra Israel.

"Queremos que o governo britânico apoie o direito internacional e os direitos humanos e peça a Israel que pare com sua guerra", declarou Sarah Colborne, diretora da "Campanha de Solidariedade com a Palestina", expressando a veemente oposição dos manifestantes à postura da chancelaria.

Intensos bombardeios aéreos israelenses contra a Faixa de Gaza eram efetuados neste sábado, destruindo a sede do governo do Hamas, enquanto 20.000 reservistas de Israel se integravam as suas unidades, muitas delas nos arredores do enclave palestino.

Desde o lançamento, na quarta-feira, da operação "Pilar de Defesa", 40 palestinos morreram e mais de 345 ficaram feridos nos ataques aéreos israelense.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.