Assinaturas Classificados
Seções
Anteriores
Publicidade

Na Mira do Leitor

Quem faz o blog
Seções
Conheça
Posts
Enviado por admin, 05/03/10 6:10:00 PM

Foram centenas de postagens. A primeira no dia 30 de agosto de 2007 . Milhares de palavras, indicações de leituras, centenas de fotos e interações com os leitores, mas hoje o blog chega ao final da sua temporada no portal RPC.

Doralice Araújo     22 de out. 2009
Refletir sobre os temas do cotidiano, interagir com os leitores, orientar e incentivar a prática da escrita: objetivos do blog Na Mira do Leitor

Estou na blogosfera desde 2005; seguirei interagindo com as colunas dos leitores e editando postagens nos blogs indicados, além de continuar com as minhas aulas de redação para vestibulandos, universitários e participantes de concursos públicos.

Continuo na rede, prezado leitor; siga-me. Ficarei honrada com a sua leitura, estímulo, participação e divulgação do meu trabalho.

Muito obrigada!

Doralice Araújo

Enviado por admin, 04/03/10 1:06:00 PM

Você já experimentou fazer uma feijoada sem os temperos das carnes? Feijoada é diferente de feijão apenas cozido, mesmo que não nos esqueçamos do alho, pimenta com cominho, sal, um fiozinho de óleo, até umas rodelinhas de pimentão e uma folhinha de louro para dar um gostinho especial. Na redação os recursos textuais são os ingredientes vitais que dão sabor e virtudes à escrita. Não esquecer, vestibulando!

Encontros  Marcados  com a  Redação      Doralice    Araújo
Treinar a redação, independente das exigências dos vestibulares, é o que faz diariamente o estudante dedicado à qualificação da sua formação escolar; escrever bem é um diferencial em qualquer área

Ingredientes indispensáveis à redação eficiente - Especialistas em feijoada sabem distinguir quando o tempero está no ponto ou quando falta um ingrediente decisivo. Na redação é a mesma situação. Texto capenga, sem articulação morfossintática, ilegível, sem pé e nem cabeça não é redação exitosa, mas sim arremedo de texto, apesar de comunicar informes decifrados pelo paciente leitor/corretor.

Qualidade na composição de um produto, serviço ou desempenho na função é fator de relevância. Anote: escrever bem é concatenar sentidos, articulando os ingredientes da escrita eficiente, ou seja, os recursos textuais ao conteúdo temático, às intenções do texto e à estrutura solicitada.

Dar bola ao que é necessário - É preciso competência teórica do professor, reflexão equilibrada com os alunos e fôlego de ensino e aprendizagem para enfrentar a gramática normativa com as regras e exceções. Quem atina aos benefícios da teoria que subjaz na língua escrita não se arrependerá jamais do esforço nos anos decisivos da escolaridade. Elementos teóricos são auxiliares e os recursos textuais são itens indispensáveis à composição de um texto, independente do propósito escolar ou profissional. Reveja-os:

Condições de legibilidade, vocabulário, pontuação, concordância entre as palavras, objetividade, intertextualidade, recursos coesivos, paragrafação, ortografia, uso dos tempos verbais, dados numéricos, notações diversas (negrito, itálico, recuo, tamanho das letras, etc.) e outros mais, específicos na escrita manuscrita, mas também na digitada, impressa e visualmente destacada nas ruas, nos cartazes, na internet, etc.

Quer treinar o olhar à identificação dos recursos textuais? Participe!

Doralice   Araújo

Proposta 1- Observe os recursos textuais encontrados na reprodução fotográfica do texto da reportagem Estado contabiliza seis mortes e dezenas de casos de gripe A( Bruna Campos, O Estado do Pará, fev.2010)

Atente também aos recursos textuais utilizados pela reportagem Gripe A diminui casos de outras doenças contagiosas(Marcos Xavier Vicente, GP,26/9/2009) e enumere-os. Mostre assim a sua capacidade de observar detalhes e visualização das funções dos recursos textuais empregados.

Proposta 2- No Twitter a objetividade informativa é nota de qualidade na comunicação. O limite máximo de 140 caracteres para anunciar, perguntar, retwittar e confirmar dados certamente ajuda a objetivar a comunicação. Pois bem, que tal abrir o link indicado abaixo e redigir na caixa de comentários recomendações à leitura dos informes? Destaque os recursos textuais que para você mais sobressaíram. Avante.

> Matéria para reflexão: responsabilidade das livrarias, no Não gosto de plágio, da Joana Canêdo.

Proposta 3 – A redação de títulos, legendas, notas breves ao leitor, bilhetes, tweets e mensagens no MSN exigem recursos textuais. Experimente redigir uma segunda advertência, sob forma de legenda à imagem do mosquito, ao surto de dengue que sorrateiramente avança no Brasil.

Examine também a reportagem Doenças que desafiam o mundo( Amália Dornellas, GP, 7/10/2009) – e, assim, ganhe maior dimensão informativa para melhor redigir a legenda.

Reprodução
O mosquito causador da dengue precisa ser combatido

Proposta 4 – Enumere os recursos textuais utilizados hoje na postagem deste Na Mira do Leitor.

Até a próxima!

Enviado por admin, 03/03/10 7:26:00 PM

Planejei trazer hoje um apanhado geral sobre a importância dos recursos textuais para elaborar uma redação nota 10, mas o balanço dos fatos educacionais deu uma guinada temática na postagem do blog. Resultado: mudei de tema.

Levar a vida na maciota - É que muita gente gosta de ser do contra, brincar com coisa séria e admitir de que não está nem ai para nada. Quem brincou com SISU colocou a mão no teclado apenas para zoar, ver no que dá e acabou atrapalhando a tentativa do MEC em “ajeitar” a questão da seleção universitária às instituições que aderiram 100% ao ENEM. Agir assim atrapalha, subverte as boas intenções, ao contrário de ajudar, concorda comigo, leitor?


Veja o passo-a-passo para inscrição no portal SiSu

Tacar lenha na fogueira ou chamar os bombeiros - Sou professora; convivo com os dilemas, incertezas e planos estudantis; tenho, inclusive, combatido a pressa na implantação do Enem repaginado, porque as consequências, apesar das explicações reducionistas do bem intencionado ministro da educação Fernando Haddad, são ainda turbulentas e aqui e ali oferecem surpresas, nem sempre agradáveis para quem apostou todas as fichas na mudança empreendida pelo ministério.

Até o SISU vai mudar, segundo rola pela internet, mas não é justo que estudantes ajam com brincadeiras na hora da candidatura às vagas oferecidas pelas universidades. Não consigo contabilizar o prejuízo, mas ele cresce a cada jogadinha estudantil com o SISU. É necessário parar de brincar com temas de interesse social, de alcance educacional coletivo.

O silêncio revelador - Fiz algumas perguntas aos candidatos ao SISU em postagem aqui no Na Mira, mas o silêncio foi revelador: insensibilidade à reflexão crítica, prazer com a preferência pelo anonimato e falta de interesse para trocar uma conversa básica sobre as providências, os remendos e as melhorias na vida estudantil brasileira.

Educar, inclusive, para a vida em sociedade - Descontração juvenil é bem diferente de irresponsabilidade; adultos que observam as tentativas de ensaio e erro no SISU e permitem que filhos, parentes ou alunos joguem com algo tão sério merecem uma reprimenda. O bom exemplo começa em casa, segue faceiro na escola e fertiliza a sociedade.

Somar ou dividir? - Reclamar, queixar, sugerir, aplaudir, observar são alguns verbos de altíssimo alcance social, mas quando mobilizamos nossas forças para subtrair tentativas de acerto social algo precisa ser feito; o leitor indignado com a minha advertência talvez encrenque comigo e argumente contrariamente, mas é o seu direito discordar, desde que justifique muito bem, não é mesmo?

Até a próxima - ou, então, follow me aqui no Twitter!

Enviado por admin, 02/03/10 9:32:00 AM

Nossos antigos mestres chamavam a conhecida redação de hoje pelo acertado nome de composição. Concordo com eles, porque escrever uma redação é reunir elementos para formar uma estrutura facilmente decomposta, caso assim desejemos.

O sucesso literalmente em suas mãos - Na prova de redação dos vestibulares concorridos o atendimento ao formato de um texto ganha o aplauso ou a advertência de quem tem a função de corrigi-lo. Recomendo aos meus alunos que escrevam invariavelmente para garantir o aplauso ou a nota máxima. O sucesso está em suas mãos, também, vestibulando.

Doralice  Araújo
Iniciar, desenvolver e concluir um texto? Desafios para vestibulandos e reflexões sobre o ensino/ aprendizagem da leitura e escrita nas escolas – Encontros Marcados com a Redação, nov. 2009

Atente às diversas tipologias textuais - A diversidade de tipos de textos, por exemplo: os resumos, as argumentações, as cartas informais ou formais, a análise de charges ou tirinhas, as dissertações, entre outros modelos profissionalmente solicitados exigem estrutura específica. Por que muitos candidatos deixam de atender ao solicitado? Ora, não entendem a proposta e não conhecem os componentes estruturais do texto proposto, prezado leitor.

O olhar de lince do corretor da redação - Diante da função de avaliar a habilidade e conferir a competência quanto à expressão escrita de um candidato o corretor observará se a redação atende às especificidades de um resumo ou de um texto de opinião. No caso do resumo se há identificação da fonte, do tema e se o autor mantém fidelidade ao texto examinado, além de acatar o número mínimo e máximo de linhas proposto; quanto ao texto opinativo se observará a presença da tese sobre o assunto alvo da polêmica, dos argumentos e da conclusão esboçada.

Embalagem ajustada às informações solicitadas - Para qualquer modelo de texto há uma estrutura, um formato correspondente, portanto será conveniente ficar de olho na postagem quando, mais adiante, tratarei das tipologias textuais.

Na próxima edição do blog tratarei dos recursos textuais e trarei outros exercícios; apareça.

Serviço – Quer participar da série de 15 aulas programadas nos meus Encontros Marcados com a Redação? As inscrições estão abertas; voltarei à sala de aula para atender vestibulandos e interessados em melhorar as condições de leitura e escrita, a partir do dia 5 de março.

Enviado por admin, 28/02/10 4:30:00 PM

A vida de um corretor de texto não é um mar de rosas. Ler milhares de textos com o mesmo tema e encontrar negligências na elaboração da redação entristece, decepciona e nos faz refletir sobre as contradições relativas à certificação do ensino médio para o ingresso à vida universitária. Quem escreve, sob o pêndulo da competitividade, precisa mostrar claramente as suas intenções ao sucesso com a escrita.

Doralice       Araújo
Vestibulanda lê reprodução de entrevista sobre José Mindlin; em seguida irá elaborar um resumo – Encontros Marcados com a Redação, em 2009

UMA EXPERIÊNCIA REAL - Eu trabalhei duramente de 14 de dezembro de 2009 a 4 de janeiro de 2010. Corrigi centenas de redações elaboradas para o ENEM, mas poucos candidatos pareciam guardar intenções objetivas de sucesso com o texto que produziram. Encontrei quase mil textos caracterizados pelas inconcebíveis rasuras, totalmente ilegíveis, sem conteúdo, que não atendiam à proposta temática, repletos de fraudes (letras enormes ou espaços em branco para ocupar mais espaço na folha) e transcrição literal de informes da proposta com o intuito de aumentar a quantidade de linhas na redação, entre outros truques e desatinos.

COLOQUE NA CABEÇA: enquanto você redige um texto em atendimento à proposta de redação do outro lado está a equipe de corretores; ela tem a função de avaliar as suas qualidades quanto à interpretação e expressão escrita, portanto, você deverá concentrará a atenção nos seguintes itens:

> Oferecer condições ideais de legibilidade do seu texto.

> Atender integralmente à proposta.

> Organizar a sua composição quanto à estrutura, tema e recursos próprios da escrita bem concatenada.

> Elaborar um rascunho da redação e caprichar na versão final.

ATENTE ÀS DIFERENÇAS - Escrever para o vestibular ou concursos públicos diversos é diferente de escrever descontraidamente na internet; no primeiro caso a escrita é manuscrita enquanto em blogs, MSN ou Twitter os recursos são outros, as intenções e o contexto não incluem o sistema classificatório, o grande componente nos concursos públicos em geral. Faça as distinções devidas.

Reprodução
José Mindlin e a contagiante paixão pelos livros; exemplo a ser seguido

QUER TREINAR A REDAÇÃO?

Que tal acompanhar as descrições feitas pelo José Luiz Goldfarb sobre o velório de José Mindlin? Reúna as informações que já conhece sobre o simpático leitor e bibliófilo, falecido neste domingo para redigir um comentário. Mantenha a objetividade, a distinção no nível da linguagem e atente aos recursos textuais, auxiliares poderosos da escrita bem concatenada.

LEIA MAIS sobre Mindlin :

> A Biblioteca Mindlin na USP

> Brasil perde o homem que amou os livros: José Mindlin; não deixe de visualizar o vídeo, na página do tio Vagner Lúcio.

LEMBRETE: aos poucos, assim que o leitor deixar o seu comentário relacionado à proposta prometo trazê-lo aqui para cima. Interaja e participe. Eu sigo aqui no Twitter, mas sempre de olho aqui no Na Mira.

“Mindlin dizia que a gente morre e os livros ficam. Concordo, pois há uns livros tão poderosos que nem as traças comem porque eles possuem o veneno da verdade. Afinal, muitas vezes a realidade da sabedoria é eterna e capaz de matar os vermes da ignorância, pouco a pouco, como um veneno letal.”( Luciana do Rocio Mallon)

“Além de atividade imprescindível para o sucesso em provas e concursos, a leitura -enriquecedora da expressão oral e escrita – nos brinda com a chance de adquirir experiência sem ter que passar pelas agruras do conhecimento alcançado por “tentativa e erro”. Há pesquisas em curso que atribuem ao ato de ler a diminuição das chances de desenvolver males cerebrais(como Alzheimer), ou ao menos de postergá-los(“Superinteressante” desse mês). Vejo, com tristeza, vestibulandos que confessam detestar ler, no entanto, adoram trocar experiências via MSN, Blogs, Twitter,celular, etc.

Penso que o problema a ser equacionado pelos educadores seja: Como aumentar a qualidade dessa ‘troca de informação’constante entre os jovens, valendo-se(como no seu Blog, Profa) de tecnologia, mídia e instrumentos que são atraentes a eles. Ou seja, se estamos perdendo, devemos nos juntar a eles ou, voltando a um tema já discutido, aprender a dançar a música que eles tocam….”( Junior)

Até a próxima!

Enviado por admin, 25/02/10 7:40:00 AM

Qualquer prova de redação, independente se para o vestibular ou concurso público em geral, visa conferir os itens abaixo. É preciso, portanto, que o candidato a eles fique atento e atenda todas as solicitações para que a redação possa auferir do corretor do texto a adjetivação de “adequada”. Quem faz o contrário corre o risco de perder ponto pela insegurança ou pelo fato de ler descuidadamente.

Doralice Araújo
Fazer um roteiro, rascunhar, elaborar a versão final e, se necessário, reescrever a redação – Orientação fundamental assimilada pelos participantes dos Encontros Marcados com a Redação

> Avaliar a capacidade interpretativa do candidato - Será que você entende o que lê ou encontra dificuldades na decodificação dos informes?

> Examinar a organização morfossintática estabelecida - As frases e parágrafos que você organiza estão concatenados ou não formam unidade de sentido?

> Conferir o conhecimento temático- Há conteúdo ligado ao tema proposto?

> Observar a formatação do modelo de redação solicitada - Se cada tipo de texto mantém um formato específico será natural que o corretor busque exatamente o modelo proposto.

> Avaliar o uso satisfatório dos recursos textuais - Articular o vocabulário, a objetividade, o nível linguístico ajustado ao interlocutor, entre outros recursos da escrita, é mostrar ao corretor que você tem autonomia no emprego desses arregimentadores da redação.

O QUE A PROPOSTA QUER ? – Muitos candidatos apressados e mal orientados costumam passar os olhos ligeiramente sobre a proposta, o que é um erro. A minha orientação é a de que você deve se perguntar sempre: o que esta proposta quer que eu faça? A resposta deve ser clara, por exemplo: um resumo, de 12 linhas, no máximo ou ainda um texto dissertativo, com título e limite máximo de 18 linhas.

OBJETIVIDADE DE MÃO DUPLA - Você deve buscar direções objetivas para as ações que empreende, tanto na leitura quanto na escrita. Muitos estudantes ficam perdidões na hora H. Falta-lhes treino, exercício.

QUER TREINAR a identificação objetiva das propostas de redação? Abaixo você dispõe de dois exemplos. Leia cada um dos comandos e objetivamente escreva o que deve ser feito para atender à proposta correspondente. A redação da proposta fica apenas como sugestão.

EXERCÍCIO 1- Examine a foto de anúncio manuscrito encontrado em escola pública e redija um texto argumentativo concordando ou discordando da oportunidade de aceleração do ensino fundamental para jovens, de 14 a 16 anos, que estão fora da escola. Limite-se a 15 linhas e atribua um título ao seu texto.

Doralice   Araújo
Reprodução de anúncio manuscrito em escola pública – Programa Aceleração – até que ponto a qualidade é relevante?

EXERCÍCIO 2 – Leia integralmente o texto abaixo(Fernando Araújo, Jornal de Londrina, 23/2) e elabore um apelo à população do Paraná para que ajude a combater a epidemia; limite-se a 8 linhas.

Dengue alcança índices alarmantes em pequenas cidades do Norte do Paraná

As pequenas cidades do Norte do Paraná estão enfrentando índices alarmantes de dengue. A mais preocupante é a situação da cidade de Primeiro de Maio, com 12 mil habitantes, que registrou 28 casos confirmados desde o início do ano e possui mais de 100 notificações. No ano passado, no mesmo período, houve apenas um caso.

Para efeito de comparação, Londrina, com

DÚVIDAS? – Você tem alguma dúvida quanto aos objetivos da proposta de uma redação? Eles estão sempre conduzindo o olhar observador do corretor, portanto, a atenção do candidato é imprescindível ao sucesso.

Leitura objetiva não gera ambiguidades, mas para que a escrita do candidato também seja marcada pela clareza é preciso redigir bem os comandos das propostas, evitando assim mal entendidos e críticas aos que organizam questões das provas. Na próxima postagem tratarei das intenções do texto a ser produzido; apareça!

Até a próxima!

Enviado por admin, 19/02/10 9:52:00 AM

Quem escreve para obter excelente posicionamento em exame classificatório não poderá ignorar dos quatro itens fundamentais abaixo:

> Os objetivos da proposta de redação.

> Das intenções do texto a ser produzido.

> Da estrutura exigida pelos examinadores.

> Da articulação dos recursos textuais, o que confirmará o dominínio das estruturas funcionais da língua escrita formalmente aceita em exames e concursos em geral.

Arquivo cel.           Doralice   Araújo
Para melhorar as condições de leitura e de expressão escrita das crianças e jovens estudantes brasileiros é preciso bem preparar os mediadores no ensino público, caso contrário…

A programação; sugestões ao leitor - Na próxima postagem explicitarei os itens acima. Ao leitor interessado em acompanhar a programação sugiro reservar um caderno( tipo universitário) ou folhas que possam ser acomodadas em fichário e providenciar a impressão das propostas de redação.

Esta prática tem ajudado inúmeros internautas. Apareça, porque você poderá acompanhar as dicas não apenas para melhor interpretar e produzir textos costumeiramente solicitados nos vestibulares e exames classificatórios, mas também aos desafios da escrita que comunica e expõe claramente as suas ideias, foge dos parágrafos longos e confusos e revela excelente nível de informações temáticas.

QUESTÕES PARA INTERAGIR

> Você costuma escrever com regularidade? Participa, por exemplo, das colunas de leitores ou interage com páginas na internet? Considero altamente estimulante para um vestibulando o posicionamento crítico diante dos fatos da vida em sociedade. Basta acompanhar a primeira página dos jornais para identificar pontos de concordância ou discordância temática. Escrever para colunas de leitores empresta sentidos à redação, além de ser uma atitude poderosamente enriquecedora ao repertório de experiências juvenis interativas.

> O Caderno Vestibular aguarda sugestões temáticas para as edições de 2010; que tal participar? Compartilhe as suas ideias; explicite os porquês das indicações, afinal, a equipe prepara o suplemento para você. Meus alunos de 2010 participarão das oportunidades interativas oferecidas pela imprensa e ainda contarão com uma página exclusiva para ampliar os exercícios de redação.

Arquivo celular       Doralice   Araújo
Treinar a escrita na internet é uma alternativa eficaz para qualificar textos objetivos e interativos

> Você já pensou em manter um blog? Neste ano vou sugerir aos meus alunos que componham uma página no Twitter, o microblog que limita a escrita em 140 caracteres, o que não impede de alguém escrever parágrafos mais longos em outros tipos de blogs.

A desejada clareza expositiva é resultado certeiro da reflexão, do exercício constante da escrita e do uso dinâmico dos recursos textuais, entendidos aqui como vocabulário, ajuste linguístico ao interlocutor, concordância entre as palavras e demais arregimentadores potenciais da escrita satisfatória.

Você conhece alguns blogs interessantes? Desses que revelam o esforço contínuo do seu responsável em ampliar informes e revelar o seu caráter interativo? Indique o link; prometo visitar a página e trazê-la aqui para cima.

DICA DO LEITOR: pedi no Twitter um SOS de links para blogs legais; meu colega professor Jarbas Novelino indicou o Capuccino Paulistano, das suas alunas Letícia e Camila. Que tal conferir? Elas gostam de filmes e livros; eu também!

> O estudante Rafael Araújo, que em 2009 participou ativamente no na Mira, mantém o Beco do Galo ; faça-lhe uma visita. Ele reúne vários temas.

Até a próxima!

Enviado por admin, 17/02/10 10:45:00 PM

A nova rodada de (re) inscrições começou, entretanto, duas hipóteses circulam com relação ao aproveitamento das vagas e da sobra disponibilizada na segunda rodada: há quem tenha desistido da oportunidade de ingresso na primeira candidatura, em razão de aprovação através do vestibular tradicional ou ainda por ter o desejo de ver se o resultado obtido alcançava o patamar exigido pela universidade da sua preferência. Apenas candidatos ou seus familiares poderão confirmar as hipóteses acima; está disposto a comentar comigo, prezado leitor?

Doralice Araújo     22 de out. 2009
Refletir sobre os temas do cotidiano, interagir com os leitores, orientar e incentivar a prática da escrita: objetivos do blog Na Mira do Leitor

Os passos oficiais - Segundo o MEC os candidatos não selecionados na primeira etapa e que desejam candidatar-se novamente às vagas devem efetuar nova inscrição no sistema, escolhendo uma opção de curso e instituição. É permitido optar pelo mesmo curso da primeira etapa e também podem se inscrever os estudantes que não participaram da primeira etapa.

Quero saber - Tenho muita curiosidade em saber quem são os candidatos selecionados à UTFPR; se têm domicílio em Curitiba, se moram em outra cidade, se estudaram em escolas públicas ou privadas ou ainda se aprovaram o sistema de seleção patrocinado pelo ENEM. Estas respostas ajudarão a formar maior sentido ao esforço do MEC em implantar velozmente o ENEM com esse componente classificatório.

Até a próxima!

Enviado por admin, 15/02/10 11:15:00 AM

Esperei alguns dias para voltar a editar nova postagem. Quer saber os porquês? Abaixo indico os três motivos:

1- Aguardar a expressão apreciativa dos candidatos classificados à UTFPR.

2- Conferir as observações dos que não foram classificados às vagas disponíveis pelo SISU.

3- Avaliar a impressão geral do poder atribuído ao ENEM

Um silêncio acrítico – A inexperiência dos jovens não lhes impede de comentar sobre a diversidade dos temas da vida em sociedade. Mesmo com dificuldades eles falam, contestam e compartilham conclusões decorrentes do que sentem ou aspiram, mas quando o tema está ligado à educação o silêncio que emitem parece ser coletivo. O ENEM alterou a vida de milhares de estudantes, mas quase não se avista uma observação juvenil sobre o assunto.

Daniel Derevecki/Gazeta do Povo
Sala de aula em Araucária funciona no subsolo de uma capela: 500 alunos no local, que alaga quando chove

Queixar: verbo transitivo - A reportagem Candidatos reclamam… (GP, 12 de fev) é ilustrativa, porque aponta a queixa sobre a morosidade do sistema oferecido pelo MEC, mas os depoimentos, embora exibam as contradições da falta de logística e tempo para o acesso dos interessados no ProUni não sobressaem em número. Você já pensou nos porquês?

Educação é assunto coletivo – Não há qualquer dúvida no que diz respeito à valorização dos temas educacionais, mas os jovens estudantes, seus pais e professores emudecem na hora da observação crítica. Talvez porque atinem unicamente ao fato de encontrar os vilões do mau funcionamento da educação no Brasil, o que lhes coloca cara a cara com o discurso raso da queixa. Criticar é muito mais do que encontrar culpados; é vislumbrar os componentes da queixa, os ingredientes indigestos e pontos da engrenagem que não funcionam com sucesso, assim como a busca de sugestões que solucionem os problemas avistados, mas nem sempre objetivamente descritos.

Aprender a olhar o sistema – Crianças e jovens aprendem desde cedo que é preciso harmonizar o visual das coisas, mas pouco se orienta as novas gerações à compreensão da estrutura, do sistema e o funcionamento das engrenagens educacionais vigentes no Brasil. Cabe às instâncias familiares e escolares o estímulo ao desenvolvimento do olhar que examina a estrutura, lhe decompõe os itens e os recompõe, porque são, em tese, harmoniosamente conexos. Se o resultado é desconexo é preciso advertir e contestar argumentativamente com quem atina ao contrário. É um direito e ao mesmo tempo um dever.

Distanciamento inconcebível - Discurso politico e realidade educacional no país de contrastes não podem ficar de fora do olhar crítico juvenil, porque enquanto nos mantemos distanciados da engrenagem que faz girar as divisas econômicas do país as “excelências” usufrem das benesses mantidas pelos cofres públicos. Atentar à conjuntura que rege o seu município, estado, região ou país é atitude vital à formação integral das novas gerações. Segundo a reportagem Quando o desafio é educar( Paola Carriel,GP, 15/2)o fator qualidade nos investimentos educacionais é a pedra de toque exitosa; desconsiderar a qualidade na formação docente, estrutura dos espaços escolares e ensino nas escolas é desperdiçar oportunidades.

Questões interativas. Que tal participar?

> Você conhece o projeto político educacional que rege as ações no município onde você reside?

> É capaz de identificar quais são as lideranças oficiais e o que fazem pelo sistema educaional?

> É capaz de reproduzir a maior queixa dos pais e dos estudantes no que diz respeito ao funcionamento das escolas de ensino fundamental?

> Conhece o valor da verba educacional destinada ao seu município? Sabe também o valor da despesa em 2008 e 2009?

> Você sabe quanto o seu município ou o estado gasta para manter um aluno na escola pública?

Hoje, enquanto o Zé Pereira, a Colombina e o bloco de rua saltitam enebriados com a batida carnavalesca do seu skabumbskabumbumbum nossas crianças e jovens, sobretudo da escola pública, voltarão, ao final do feriadão carnavalesco, aos espaços escolares destituídos do básico e da segurança para iniciar o semestre letivo(3,5 mil alunos voltam às aulas e salas improvisadas Pedro de Castro e Tatiana Duarte, GP, 9/ 2). Inconcebível.

Seguirei aqui no Twitter; venha comigo…ou até a próxima!

Enviado por admin, 10/02/10 1:05:00 AM

O leitor que acompanha esta página sabe da minha temporada fora de Curitiba, porque todos precisam de uns dias de férias, mas as minhas reflexões sobre a esfera educacional continuam. Hoje, por exemplo, eu conversava com familiares acerca do poder atribuído ao ENEM na vida estudantil brasileira: o de influenciar os passos do estudante daqui para frente. Você já pensou sobre este fator determinante?


Mapeamento da adesão ao ENEM - Se um maior número de universidades federais declararem a adesão ao ENEM como sistema único de seleção – Meu Deus!! – o estudante brasileiro terá um novo modo de encarar o ingresso ao ambiente acadêmico. Confesso que o exame nacional ainda me assusta, sobretudo porque conheço o Brasil, cuja geografia e logística à implantação de novidades simultâneas exige planejamento e senso de realidade, aspectos determinantes, mas que expõem as vulnerabilidades de um sistema que é alvo das críticas, sobretudo dos que acompanham os bastidores da engenharia seletiva feita, aqui entre nós, a toque de caixa e sujeita a toda sorte de surpresas.

Questões pouco evidenciadas ao público: exclusão digital e barreiras econômicas- Tenho temores, prezado leitor; lamento que você não os compreenda, fique indiferente(diante da ausência de comentários, por exemplo) e nem compactue com as minhas preocupações, porque talvez não tenha vivenciado situações adversas na sua vida estudantil. Quer exemplos? As facilidades advindas com o conforto da inclusão digital (imprescindíveis durante a consulta ao SISU) e a manutenção do estudante que saiu do seu domicílio e inicia a temporada de estudos em outra cidade ou região do país. Contar com um computador permanentemente conectado com a internet para consultar o SISU e tranquilidade posterior para o custeio das despesas com o deslocamento do estudante são oportunidades condicionantes minoritárias.

A radiografia estudantil - O Caderno do Estudante ouviu alguns jovens; acompanhe o que declaram, mas eu gostaria muito de poder ouvir os que estão anônimos pelo Brasil afora e que tiveram dificuldades para administrar os procedimentos apontados pelo MEC durante a primeira candidatura às vagas nas universidades que aderiram integralmente ao programa nacional.

http://www.serpro.gov.br/inclusao/telemenu/telecentros/ma/MapaBrasil.gif

Um país de contrastes - O MEC esquece de que o Brasil é uma espécie de continente caracterizado pelas condições e oportunidades diversificadas. No afã de implantar um sistema de seleção nacional o ministério deixou de lado a realidade do país, sobretudo as exclusões de variada tipologia que condicionam a vida popular.

E agora? – Meus alunos do ano passado já estão vivendo outros desafios: os que foram aprovados na UFPR caminham para a fase de matrícula, os que dependiam do ENEM para ingressar na UTFPR vivem a alegria do sistema classificatório e os que não lograram êxito nos dois processos anteriores aproveitaram certamente as alternativas das seleções feitas pelas instituições particulares, mas há os que dispõem do caminho único: frequentar um cursinho novamente ou quem sabe, arrumar um emprego e tocar a vida.

No calendário estudantil - O certo é que o ENEM será o marco regulatório da vida estudantil, mesmo debaixo das suas contradições e injustiças. Tenho muitas interrogações ainda sem respostas, prezado leitor, mas a maior de todas é a de saber o porquê da pressa na implantação do processo seletivo nacional. Talvez o ano eleitoral justifique o pacote de agilidades; é uma hipótese preciosa, mas o tempo ajudará a confirmar a sua pertinência. Para melhor acompanhar a reflexão de hoje, por favor, dispense mais alguns minutos e leia o que escrevi ainda em outubro de 2009.

Algumas questões para interagir e exercitar a escrita – Você participou do Enem direta ou indiretamente? Consegue perceber vantagens na adoção desse sistema seletivo? Gostaria de saber que um maior número de universidades públicas aderiram ao sistema ou prefere que mantenham a autonomia para programar e realizar seus vestibulares?

Até a próxima!

Páginas12345... 44»
Este é um espaço público de debate de idéias. A Gazeta do Povo não se responsabiliza pelos artigos e comentários aqui colocados pelos autores e usuários do blog. O conteúdo das mensagens é de única e exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.
Publicidade
Publicidade
Publicidade
«

Onde e quando quiser

Tenha a Gazeta do Povo a sua disposição com o Plano Completo de assinatura.

Nele, você recebe o jornal em casa, tem acesso a todo conteúdo do site no computador, no smartphone e faz o download das edições da Gazeta no tablet. Tudo por apenas R$ 69,30 por mês no plano anual.

SAIBA MAIS

Passaporte para o digital

Só o assinante Gazeta do Povo Digital tem acesso exclusivo ao conteúdo do site, sem nenhum custo adicional ou limite.

Navegue com seu celular ou baixe todas as edições no tablet - um novo jeito de ler jornal onde você estiver.

CLIQUE E FAÇA PARTE DESSE NOVO MUNDO

»
publicidade