Urna eletrônica
Sete capitais já têm o novo prefeito definido.| Foto: Antonio Augusto/Ascom/TSE

O 1º turno das eleições de 2020 já definiu quem serão os novos prefeitos de sete capitais do país. Outras 18, por outro lado, devem ter os novos mandatários conhecidos apenas no dia 29 de novembro (veja a lista completa no infográfico ao final do texto). A exceção é Macapá, que teve as eleições adiadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Brasília não tem a realização de eleições municipais.

Enquanto alguns resultados já eram esperados, a partir do que mostravam as pesquisas de intenção de voto, outros surpreenderam e apontaram uma reviravolta no cenário.

Em São Paulo, maior cidade do país, o segundo turno será disputado entre o atual prefeito, Bruno Covas (PSDB), e Guilherme Boulos (Psol). A surpresa ficou por conta do percentual de votos obtido pelo candidato do Psol. No sábado (14), levantamento do Ibope apontava empate técnico entre Boulos, Celso Russomanno (Republicanos) e Márcio França (PSB). Na abertura das urnas, porém, Boulos acabou se descolando dos demais: ele obteve 20% dos votos válidos, contra 13% de França e apenas 10% de Russomanno.

No Rio de Janeiro ocorreu situação semelhante. No sábado (14), o Ibope apontava empate técnico entre Marcelo Crivella (Republicanos), Benedita da Silva (PT) e Delegada Martha Rocha (PDT) no segundo lugar – apesar de Crivella já aparecer com vantagem numérica em relação às concorrentes. No fim das contas, o atual prefeito do Rio teve 22% dos votos válidos, contra 11% de Martha Rocha e mais 11% de Benedita da Silva. Ele disputa o segundo turno com Eduardo Paes (DEM), que fez 37% dos votos válidos.

Recife e Porto Alegre têm cenário mais disputado do que o esperado

No Recife, por outro lado, o resultado foi o oposto. A última pesquisa do Ibope antes da eleição mostrava João Campos (PSB) confortável na liderança, com 39% das intenções de voto. A segunda colocada, Marília Arraes (PT), tinha 26%. O resultado, no entanto, apontou que os dois primos tiveram desempenho muito próximo: Campos registrou 29% dos votos, e Marília, 28%.

Situação parecida ocorreu em Porto Alegre, em que a liderança de Manuela D'Ávila (PCdoB) não se concretizou. No Ibope de sábado (14) , Manuela tinha 40% dos votos válidos, contra apenas 25% do segundo colocado, Sebastião Melo (MDB). Na votação, porém, Melo acabou à frente de Manuela, registrando 31% dos votos, enquanto a candidata do PCdoB teve 29%.

Reeleição marcou capitais em que houve definição no 1º turno

Em outras capitais, por outro lado, o resultado foi semelhante ao que já estava desenhado nas pesquisas de intenção de voto. Em Fortaleza, Sarto (PDT) disputa o segundo turno com Capitão Wagner (Pros), conforme já apontava pesquisa do Ibope no sábado (14). O candidato do PDT teve 36% dos votos, contra 33% do Capitão, que é apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Resultado já previsto também ocorreu em Belo Horizonte, Salvador, Florianópolis, Curitiba, Campo Grande, Natal e Palmas. As sete capitais tiveram definição do novo prefeito no 1º turno, com a eleição de Alexandre Kalil (PSD), com 63% dos votos; Bruno Reis (DEM), com 64%; Gean Loureiro (DEM), com 53%; Rafael Greca (DEM), com 59%; Marquinhos Trad (PSD), com 52%; Álvaro Dias (PSDB), com 56%; e Cinthia Ribeiro (PSDB), com 36% (Palmas não tem segundo turno).

Deles, apenas Bruno Reis não disputava a reeleição. Mesmo assim, ele era o candidato da situação, já que tinha o apoio de ACM Neto (DEM) – atual prefeito de Salvador – e ocupava o cargo de vice-prefeito na capital baiana.

Entre os prefeitos que disputavam a reeleição em capitais, só Nelson Marchezan Junior (PSDB), chefe do Executivo em Porto Alegre, não foi eleito no primeiro turno nem foi à segunda etapa da disputa.

Outro dado que chama a atenção é o fato de que três dos eleitos já no primeiro turno são do Democratas – crescimento do partido que consolida a legenda como uma nova força na centro-direita.

Veja o resultado do 1º turno em todas as capitais

Metodologia das pesquisas citadas na reportagem

São Paulo

  • Sob encomenda da TV Globo e do jornal O Estado de S. Paulo, o Ibope ouviu 1.204 eleitores de São Paulo entre os dias 12 e 14 de novembro de 2020. O levantamento tem nível de confiança de 95%, e margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob a identificação SP-09660/2020.

Rio de Janeiro

  • Sob encomenda da TV Globo, o Ibope ouviu 1.204 eleitores do Rio de Janeiro entre os dias 12 e 14 de novembro de 2020. O levantamento tem nível de confiança de 95%, e margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob a identificação RJ-02939/2020.

Recife

  • Sob encomenda da TV Globo e do Jornal do Commercio, o Ibope ouviu 1.106 eleitores do Recife entre os dias 12 e 14 de novembro de 2020. O levantamento tem nível de confiança de 95%, com margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob a identificação PE-02565/2020.

Porto Alegre

  • Sob encomenda da RBS TV, o Ibope ouviu 805 eleitores de Porto Alegre entre os dias 12 e 14 de novembro de 2020. O levantamento tem nível de confiança de 95%, com margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob a identificação RS-02998/2020.

Fortaleza

  • Sob encomenda da TV Verdes Mares, o Ibope ouviu 805 eleitores de Fortaleza entre os dias 12 e 13 de novembro de 2020. O levantamento tem nível de confiança de 95%, com margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob a identificação CE-07648/2020.
2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]