Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Esportes
  3. Copa
  4. Copa 2018
  5. De Putin ao Canarinho Pistola: os fatos marcantes da Copa na Rússia

balanço

De Putin ao Canarinho Pistola: os fatos marcantes da Copa na Rússia

  • Daniel Malucelli
 | FRANCK FIFE/AFP
FRANCK FIFE/AFP
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A Copa do Mundo 2018 chegou ao fim e certamente deixará muita saudade. Para os amantes do esporte ou simpatizantes da mais apaixonante competição de futebol do mundo, serão longos quatro anos (e meio) de espera. O próximo Mundial, que será sediado no Catar, acontece apenas no fim de 2022.

Pela sétima Copa consecutiva com profissionais in loco, a Gazeta do Povo realizou uma cobertura especial da disputa da Fifa na Rússia. Além dos profissionais em solo europeu, a equipe da editoria de Esportes trabalhou noite e dia para trazer a cobertura mais completa possível. Veja o resumo da Copa do Mundo 2018 sobre tudo o que aconteceu na Rússia!

Clique no tópico abaixo que desejar ler:

1) Futebol: histórias marcantes da Copa

2) Política, polêmicas e bastidores

3) Mídia, curiosidades e fatos mais engraçados

##

Futebol: histórias marcantes da Copa

Neymar , o ‘vilão’ da Copa

O atacante brasileiro foi o jogador mais comentado da Copa. Não pelo futebol, mas pela postura dentro de campo ao tentar dramatizar e simular faltas. Com fama de trapaceiro e mau exemplo para as crianças, Neymar deixa a Rússia em baixa como se fosse o ‘vilão’ de uma novela mexicana. No final, sem dar entrevistas, o camisa 10 postou apenas um pequeno texto de desabafo no Instagram.

Mbappé, o adolescente que encantou o mundo

Aos 19 anos, Mbappé entrou para um seleto grupo que antes só havia Pelé. Na vitória da França sobre a Argentina, nas oitavas de final, ele encantou o mundo com suas arrancadas e se tornou o segundo jovem com menos de 20 anos a marcar dois gols em um jogo de mata-mata de Copa. Já o Rei do Futebol marcou três gols contra a própria França, na semifinal da Copa de 1958.

Show de Cristiano Ronaldo

O português teve uma atuação histórica na estreia de Portugal contra a Espanha ao marcar três gols no empate por 3 a 3. Em sua quarta edição do Mundial, faltava ao craque uma grande atuação em Copas. A seleção portuguesa foi eliminada nas oitavas de final para o Uruguai.

Messi x Islândia

Sozinho no meio da bagunça argentina, o astro Lionel Messi não teve vida fácil na Copa. O episódio mais marcante do camisa 10 aconteceu na estreia, contra a Islândia – país com a menor população (334 mil habitantes) na história a jogar uma Copa. Guerreiros, os islandeses seguraram a Argentina, com direito a pênalti batido por Messi e defendido por Halldórsson, goleiro que era obeso e é diretor de cinema.

E o Neuer tchau

Campeã em 2014, a Alemanha passou vergonha na Rússia. A imagem mais marcante da queda alemã na primeira fase foi o goleiro e capitão Neuer perdendo a bola no campo de ataque no segundo gol da Coreia do Sul.

Nigeriano entrou em campo com o pai sequestrado

Obi Mikel é capitão e maior nome da seleção da Nigéria. Contra a Argentina, no jogo que valia a classificação para o mata-mata, ele entrou em campo horas depois de saber do sequestro do pai. O drama durou uma semana, quando o pai de Mikel foi resgatado pela polícia nigeriana. A Argentina venceu a partida.

Lukaku e a ‘ótima geração belga’

A badalada geração belga, que antes da Copa ainda era cercada de desconfiança, se consolidou de vez no cenário mundial. Eliminou o Brasil nas quartas de final e ficou entre os quatro melhores. Além do talento dos jogadores, o atacante Lukaku ganhou uma torcida especial após contar sua emocionante história de vida ao site The Players Tribune.

Croatas ‘atropelam’ fotógrafo na semifinal

O fotógrafo salvadorenho Yuri Cortez, da agência francesa AFP, foi atropelado pela seleção da Croácia após o gol na prorrogação contra a Inglaterra que garantiu os croatas na final. As fotos entraram para lista das imagens mais marcantes na Rússia.

Uruguai: luto e zagueiro aos prantos

O goleiro Muslera foi decisivo na queda do Uruguai para a França nas quartas de fina ao tomar um frango daqueles. Porém, o uruguaio havia perdido um tio e a avó materna dias antes do jogo. O caso não foi tornado público até a eliminação. Em campo, outro fato da partida foi o choro do zagueiro Gimenez ainda com a bola rolando.

Gol emocionante do Panamá

O zagueiro Baloy, que jogou por Grêmio e Atlético-PR no futebol brasileiro, entrou para a história ao marcar o primeiro gol do Panamá na história da Copa. A festa no estádio e no país latino foi imensa. Detalhe é que quando o gol saiu o jogo estava 6 a 0 para a Inglaterra.

O cruel destino de Fernandinho

Fernandinho foi um dos jogadores mais lembrados do 7 a 1. Quis o destino que o volante novamente ficasse marcado negativamente. Na eliminação do Brasil para a Bélgica, ele teve azar ao marcar um gol contra, que acarretou em uma partida infeliz do atleta.

VAR

Muita gente pensava que as discussões sobre arbitragem iriam acabar com a introdução do árbitro de vídeo (VAR), utilizado pela primeira vez em uma Copa. Ledo engano. Não faltaram pênaltis, reclamações, lances duvidosos, acertos e erros no Mundial.

Política, polêmicas e bastidores

Assédio a mulheres

O assédio a mulheres também marcou o Mundial na Rússia. A ONG ‘Fare Network’, parceira da Fifa, constatou que 45 mulheres – 30 torcedoras e 15 jornalistas – foram vítimas de assédio na Copa. O caso mais marcante foi feito por quatro brasileiros, que filmaram e constrangeram uma russa induzindo a moça a repetir um palavrão que faz referência ao órgão sexual feminino. A polícia russa abriu um inquérito para investigar os homens.

Porém, a atitude machista foi minimizada pelo Minsitro do Turismo do Brasil, Vinicius Lummerts, que afirmou que o caso não era tão grave pois “não morreu ninguém”. O chefe do Comitê Organizador Local, o russo Alexey Sorokin, também seguiu a mesma linha de subestimar os crimes.

Coronel Nunes e fiasco da CBF

Na politicagem do mundo da bola, nenhum país saiu mais queimado que o Brasil. Tudo por conta das trapalhadas do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Antonio Carlos Nunes de Lima, o Coronel Nunes. O dirigente de 79 anos conseguiu acabar de vez com a reputação da CBF e desatou uma crise diplomática com a Fifa e com os Estados Unidos.

Na votação para escolher a sede da Copa de 2026, por um acordo fechado, os representantes sul-americanos combinaram de votar na candidatura conjunta EUA-México-Canadá. Porém, Nunes, sem saber que o voto era aberto, descumpriu o trato e votou por contra própria no Marrocos. Os países americanos foram eleitos, mas a traição do cartola causou indignação em dirigentes no mundo inteiro. Após o ato, ele foi isolado pela cúpula da própria CBF.

Racismo no Brasil e os imigrantes europeus

Casos lamentáveis de racismo foram registrados na Copa. O volante Fernandinho e sua família foram ofendidos nas redes sociais após a eliminação do Brasil. Quem também foi acusado de comentários racistas foi o youtuber Julio Cocielo, que declarou que o atacante francês Mbappé “conseguiria fazer uns arrastões top na praia” depois do jogo contra a Argentina.

Outro tema marcante do Mundial envolveu a imigração na Europa. As quatro finalistas da Copa - França, Bélgica, Croácia e Inglaterra, estão repletas de imigrantes e descendentes, povo que sofre com o preconceito no velho continente. Mas, pelo menos na Copa, os europeus tiveram que se curvar ao imigrantes.

Seleção do Irã x Nike

Os jogadores do Irã ficaram ‘descalços’ antes do Mundial. Por conta de uma sanção econômica imposta pelo o presidente do Donald Trump, do Estados Unidos, contra países islâmicos, a fornecedora de material esportivo Nike se recusou a fornecer chuteiras para os iranianos. Após o incidente, os jogadores tiveram que comprar os próprios calçados.

Ética espanhola

Dois dias antes da bola rolar na Copa, uma bomba na favorita Espanha: a demissão do técnico Julen Lopetegui. O comandante havia sido anunciado pelo Real Madrid e durante a negociação, não comunicou Luis Rubiales, presidente da Federação Espanhola de Futebol. Inconformado com a falta de ética de Lopetegui, o cartola não quis saber e demitiu o treinador. Fernando Hierro assumiu a Fúria, que foi eliminada nas oitavas de final para a Rússia.

Jogador envolvido com tráfico

Acusado e investigado por envolvimento com narcotraficantes, o zagueiro Rafa Márquez, teve uma rotina diferente dos demais atletas do México na Rússia. Em sua quinta Copa, o defensor de 39 anos ficou proibido de manter relações com marcas norte-americanas. Ele foi o único jogador a não ter patrocínio nas roupas de treino e não pode beber água nas garrafinhas patrocinadas.

A ligação de Putin

Após a goleada por 5 a 0 da Rússia sobre a Arábia Saudita, na estreia da Copa, o técnico russo Stanislav Tchertchesov surpreendeu na coletiva pós-jogo ao abandonar a entrevista no meio para atender o celular. Na hora, ninguém entendeu nada. Pouco depois, o comandante voltou para a sala e se explicou: a ligação era de Vladimir Putin, o presidente do país.

O craque odiado por sua nação

O croata Modric foi um dos grandes personagens na Copa. Mas o craque do Real Madrid não é bem visto pelo seu próprio povo. Por conta de um escândalo de corrupção no futebol em que Modric é investigado, o meia não tem a simpatia da população da terra natal.

Boicote britânico

Inglaterra e Rússia vivem uma crise diplomática desde o início do ano por conta do envenenamento de um ex-espião russo em solo britânico. Por este motivo, as autoridades inglesas boicotaram a Copa e não marcaram presença na Rússia. Em março deste ano, o ministro de Relações Exteriores do Reino Unido, Boris Johnson, chegou a afirmar que o presidente russo, Vladimir Putin, iria usar a Copa do Mundo de 2018 para melhorar a imagem do país, da mesma forma que Adolf Hitler usou a Olimpíada de 1936 em Berlim para projetar a Alemanha nazista.

Go Kane!

O tabloide inglês The Sun causou muita polêmica na véspera da partida entre Inglaterra e Colômbia, pelas oitavas de final. Conhecido mundialmente pelas manchetes sensacionalistas, a publicação inglesa irritou colombianos com um trocadilho que sugere que a cocaína é um dos principais produtos exportados pelo país. O trocadilho envolvia o nome do centroavante inglês Harry Kane, com a expressão “Go Kane”.

Geopolítica

Suíça e Sérvia fizeram uma disputa agitada na primeira fase. Os suíços se classificaram e na comemoração, os atletas Shaqiri e Xhaka, descendentes do povo kosovar, fizeram o símbolo da bandeira da Albânia em uma referência à origem albanesa do povo de Kosovo. Isso por que Kosovo é um território que fica dentro da Sérvia e declarou independência, mas ainda sem o reconhecimento sérvio.

Mídia, curiosidades e fatos mais engraçados

É falta no menino Ney!

Ah, o menino Ney. Ninguém rendeu mais piadas para os ‘fabricantes de memes’ na web do que o atacante brasileiro. As quedas fantasiosas, o cabelo miojo e as cambalhotas na grama. Nada escapou. Neymar, que levou dois cabeleireiros para a Rússia, teve o penteado debochado por Cantona, virou desafio mundial no #NeymarChallenge, propaganda do Samu português, e suas quedas viraram até design de alfabeto.

Ôôô, 58 foi Pelé

A Copa marcou uma mudança de característica da torcida do Brasil no torneio. Do arrastado cântico “sou brasileiro, com muito orgulho e muito amor”, hino do 7 a 1 no Mundial de 2014, os brasileiros vieram à Rússia com músicas e atitudes diferentes. A preferida dos torcedores foi o canto “58 foi Pelé”.

Canarinho Pistola

Sem dúvidas, o personagem mais marcante da Copa fora dos gramados. Mesmo impedido de entrar nas arenas, o mascote mal-humorado do Brasil virou uma febre e ganhou adeptos mundo afora. Literalmente ‘da galera’, o Canarinho Pistola – que virou coxinha em um restaurante – foi até expulso por seguranças do hotel em uma chegada fervorosa da seleção brasileira após ser confundido com um torcedor.

A história maluca do russo mais amado do Brasil

Bastou um close da câmera na vitória do Brasil sobre o México para a vida do russo Yuri Torsky, o meme favorito dos brasileiros. O ‘psicopata do hexa’ como foi apelidado virou febre nas redes sociais e foi convidado por patrocinadores para assistir ao jogo contra a Bélgica. Mas nem a presença do simpatizante sinistro ajudou a seleção.

Professor Tite

Dois momentos marcaram o técnico. Primeiro a comemoração do gol salvador de Coutinho contra a Costa Rica, na qual Tite leva um tombo após ser atropelado pelos ‘pequenos’ goleiros Ederson e Cássio. Já contra o México, a corridinha do comandante para comemorar o gol com Neymar entrou para a história.

O show de Maradona

Messi, Cabellero, Sampaoli e Maradona. Os memes do sofrimento argentino foram em dose dupla na Copa. Primeiro, na fase de grupos quando os Hermanos foram goleados pela Croácia. Depois, na eliminação definitiva para a França nas oitavas de final. Já Maradona, deu show na classificação argentina para o mata-mata e depois passou mal ainda no estádio.

Haja coração!

O narrador global sempre é um show à parte. Na Rússia não foi diferente. Teve Galvão revoltado contra a arbitragem, teve análise da eliminação detonando a CBF, bordões clássicos e polêmica com o filho de Mick Jagger. Para a Copa do Catar 2022, o locutor ainda não decidiu se irá narrar ou comentar.

Terremoto mexicano

A vitória do México na estreia contra a Alemanha foi considerada uma das maiores da história do país em Copas. A comemoração em solo mexicano foi tão intensa que os sismógrafos da Cidade do México registraram um abalo sísmico na capital, o equivalente a um pequeno terremoto. Os mexicanos também entraram para a história ao invadir o consulado da Coreia do Sul e fazer o embaixador sul-coreano beber tequila no meio da festa.

Videocassetada

A maior participação do belga Michy Batshuayi foi levar uma bolada na cara do próprio chute. Na comemoração do gol da Bélgica contra a Inglaterra, eis que o atacante pega a bola e manda aquele famoso chutão no gol. Mas a redonda, para a sua infelicidade e a nossa alegria, voltou com tudo no rosto em uma das cenas mais hilárias da Copa. Nem os companheiros perdoaram o jogador da zoeira.

Os frangos

O espanhol De Gea, considerado um dos melhores do mundo, mostrou que a Copa teria frangos, e muitos! Logo no segundo jogo do Mundial, ele levou um frangão daqueles no chute de Cristiano Ronaldo e já caiu nas mãos da fábrica de memes. O uruguaio Muslera, o argentino Cabellero, o japonês Kawashima também não ficaram para trás.

O descanso do ‘guerreiro incansável’

O volante Gana, de Senegal, – o “incansável guerreiro”, como descreve o site oficial da FIFA – descansou na hora errada. A seleção africana precisava apenas do empate diante da Colômbia para se classificar, quando veio o escanteio. Mas Gana dormiu no ponto, encostou na trave e por lá ficou admirando a paisagem. No lance, o zagueiro Mina fez o gol e mandou Senegal mais cedo para a casa.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE